Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone
Cinema / Resposta

Donald Trump rebate críticas de Robert De Niro: 'Talento diminuiu bastante'

Robert De Niro criticou Donald Trump durante discurso no Gotham Awards; o trecho teria sido cortado pela premiação

Redação Publicado em 05/12/2023, às 09h43

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Donald Trump (Foto: Jim Vondruska/Getty Images) | Robert De Niro (Foto: Arturo Holmes/Getty Images)
Donald Trump (Foto: Jim Vondruska/Getty Images) | Robert De Niro (Foto: Arturo Holmes/Getty Images)

As críticas de Robert De Niro a Donald Trump não foram bem recebidas pelo ex-presidente dos Estados. O ator citou Trump durante discurso no Gotham Awards. A premiação teria editado o trecho, mas ele leu o rascunho feito no celular.

"Robert De Niro, cujo talento de atuação diminuiu bastante, com a reputação atingida, precisou usar um teleprompter para sua linguagem suja e nojenta, tão desrespeitosa com nosso país.", disse Trump ao Truth Social, segundo o Daily Beast (via NME). 

"Ele se tornou impossível de assistir, tanto em filmes, quanto com os idiotas que destruíram o Oscar, levando-o de um dos melhores programas do país para uma reflexão tardia de baixa classificação. De Niro deveria se concentrar em sua vida, que é uma bagunça, e não na vida dos outros. Ele se tornou um perdedor, enquanto o mundo assiste, espera e ri."

Discurso editado

Robert De Niro estava no meio de um discurso quando percebeu que tinha algo de errado. Ele participou do Gotham Awards apresentando os prêmios dedicados a Assassinos da Lua das Flores, de Martin Scorsese, nesta segunda-feira, 27.

+++LEIA MAIS: Robert De Niro queria que Assassinos da Lua das Flores fosse gravado em língua indígena

Enquanto lia o teleprompter preparado pelo evento, o ator disse: "Eu vou voltar, desculpe. Há um erro aqui. Vou continuar. Pode ir descendo" (via NME).

"Só quero dizer uma coisa. O início do meu discurso foi editado, cortado, e eu não sabia disso. E eu quero lê-lo." Robert pegou o celular e retomou a leitura: "História não é mais história. Verdade não é mais verdade. Até fatos estão sendo substituídos por fatos alternativos e levados por teorias da conspiração."

"Na Flórida, jovens estudantes são ensinados que escravizados desenvolveram habilidades que poderiam ser aplicadas a favor de si. A indústria do entretenimento não está imune a essa doença infecciosa. O Duke, John Wayne, ficou conhecido por dizer sobre os nativos americanos: 'Não sinto que erramos ao roubar esse grande país deles. Havia muita gente que precisava de terra nova e os índios eram egoístas por mantê-las consigo.'"

De Niro seguiu falando sobre o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump: "Mentir se tornou mais uma ferramenta no arsenal de charlatão. O ex-presidente mentiu para a gente mais de 30 mil vezes durante os quatro anos no poder. E ele está mantendo o passo na sua atual campanha de retribuição. Mas, com todas as mentiras, ele não consegue esconder a alma".

"Ele ataca o fraco, destrói os presentes da natura e mostra desrespeito, por exemplo, usando 'Pocahontas' como insulto. Cineastas, por outro lado, esforçam-se — foi daí que vim e vi que eles tinham editado tudo."

O ator sugeriu que finalizaria o discurso com um agradecimento ao Gotham Awards e à Apple. "Mas não sinto que deveria agradecer a eles pelo que fizeram. Como ousam fazer isso, na verdade?", completou.