Halloween Kills: sequência tem 3 vezes mais mortes que filme anterior; veja progressão

Halloween (2018) teve 18 mortes causadas por Michael Myers

Felipe Grutter (com supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 15/10/2021, às 08h58

None
Halloween Kills: O Terror Continua (Foto: Divulgação)

Halloween Kills: O Terror Continua é o mais recente capítulo de uma das franquias pioneiras de filmes slashers, subgênero de terror com assassinos psicopatas que matam aleatoriamente. Interpretado por Nick Castle, Michael Myers matou diversas pessoas nos longas. Vale notar como a sequência tem três vezes mais mortes em relação ao filme anterior.

Segundo resenha da Forbes, Michael Myers contabilizou 61 mortes em Halloween Kills: O Terror Continua, mas nem todas aparecem na tela. Esse foi o maior números de vítimas em toda franquia. No primeiro filme da nova trilogia dirigida por David Gordon Green, Halloween (2018), o vilão causou 18 mortes.

+++LEIA MAIS: Halloween Kills: Jamie Lee Curtis vai à pré-estreia vestida como Marion, de Psicose

John Carpenter, diretor e criador da franquia, indicou o aumento na contagem de vítimas durante entrevista ao IndieWire em 2020 (via AdoroCinema). "O filme é outra coisa. É divertido, intenso e brutal, um filme de terror cem vezes maior. É enorme. Nunca vi nada assim: a contagem de mortes!", afirmou. Carpenter foi produtor executivo e compositor em Halloween Kills.

O diretor David Gordon Green também falou sobre o aumento de mortes, desta vez ao Screen Rant: "Ao entrar no filme e na fase de roteiro, não tínhamos a intenção de fazer algo visivelmente violento. Certamente foi ambicioso e agressivo do ponto de vista físico e logístico de acrobacias, mas só após filmarmos as sequências e descobrirmos onde colocar a câmera e ver como alguns dos efeitos de maquiagem e matança eram eficazes."

+++LEIA MAIS: Halloween Kills: Produtor explica decisão de lançar sequência no streaming: 'Foi minha ideia'

"Tivemos tanta sorte em trabalhar com um grande maquiador e artista de efeitos como Chris Nelson," continuou. "Quando estamos na sala de edição e navegando onde a sutileza pode residir, de repente o editor Tim Alverson e eu simplesmente levantamos as mãos e dizemos: 'Sutileza não é esse filme. Talvez seja voltar, mas não está em um filme chamado Halloween Kills. Então, vamos nos divertir com isso. Vamos dar ao público algo para gritar, comer pipoca e também se divertir no cinema.'"