A Barraca do Beijo: Jacob Elordi desabafa sobre objetificação masculina: 'Frustrante'

Astro de Euphoria e A Barraca do Beijo, Jacob Elordi desabafa sobre comentários acerca do corpo dele

Redação Publicado em 24/12/2021, às 16h00

None
Jacob Elordi em “A Barraca do Beijo” (Foto: Reprodução)

Astro da série da HBO, Euphoria, como Nate Jacos e da trilogia da Netflix, A Barraca do Beijo, como Noah Flynn, Jacob Elordi falou sobre o incômodo e frustração acerca da constante objetificação do corpo dele, explicando que constantemente se sente reduzido aos comentários sobre a forma física dele. 

Em entrevista exclusiva à Men’s Health, compartilhada no dia 20 de dezembro, via Capricho, o ator Jacob Elordi refletiu sobre uma série de assuntos da vida pessoal e artística, destacando os comentários sobre o corpo dele e como isto é frustrante para ele.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Jacob Elordi (@jacobelordi)

 

+++LEIA MAIS: A Barraca do Beijo: Jacob Elordi não é fã do filme e nem do próprio personagem

Ao falar sobre, especificamente, a trilogia d'A Barraca do Beijo, o astro falou sobre as múltiplas cenas em que ele aparece sem camisa ao longo das produções e, refletiu sobre como isso o incomodou por bastante tempo. Os filmes são protagonizados por ele, Joey King e Joel Courtney

"Você aprende rapidamente que o que as pessoas tiram desses filmes é a sua estatura e sua figura. [...] Você tem todos os tipos de faixas etárias ao redor do mundo falando apenas sobre sua aparência," declarou. Ainda, pontuou: "Não acho que seja realmente uma conversa que as pessoas têm a respeito dos homens."

+++LEIA MAIS: Longe de evoluir, A Barraca do Beijo 3 insiste em dramas exagerados, discursos machistas e clichês ultrapassados [REVIEW]

Apesar de não ser uma temática que tira o sono dele, "é definitivamente frustrante," segundo o ator relatou. Na ocasião, também citou o exemplo de quando precisa trocar de roupa em uma sessão de fotos e comentários sobre o corpo dele acabam surgindo em meio à situação. 

"Você pode imaginar se eu dissesse a uma mulher: 'Uau, olhe para a sua cintura! Vejo você mais tarde?'. Eu nunca faria isso, mas acho que as pessoas veem em suas telas, então acham que está tudo bem," concluiu.