Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

James Cameron revela que previu IA em 1984: 'Vocês não me escutaram'

James Cameron também disse que "certamente não estaria interessado" em ter IA escrevendo roteiros de filmes para ele

Redação Publicado em 20/07/2023, às 13h13

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
James Cameron é diretor de Avatar (2009) e Avatar: O Caminho da Água (2022) (Foto: Steve Granitz/FilmMagic)
James Cameron é diretor de Avatar (2009) e Avatar: O Caminho da Água (2022) (Foto: Steve Granitz/FilmMagic)

James Cameron teria sido um dos primeiros da indústria do entretenimento a alertar o mundo sobre a ameaça da Inteligência Artificial em 1984, mas a indústria “não deu ouvidos”.

Em entrevista ao CTV News, o cineasta fez referência ao seu clássico de ficção científica O Exterminador do Futuro (1984) quando questionado sobre o que ele achava da ascensão da IA ​​no cinema, na televisão e na música. Além do entretenimento, Cameron também acha que a IA representa uma ameaça nas operações militares.

+++ LEIA MAIS: James Cameron é diretor de três dos cinco filmes de maior bilheteria do mundo

Acho que entraremos no equivalente a uma corrida armamentista nuclear com a IA e, se não a construirmos, os outros caras serão a favor, com certeza vai construí-lo [...]. Você poderia imaginar uma IA em um teatro de combate, tudo sendo combatido pelos computadores em uma velocidade que os humanos não podem mais interceder e você não tem capacidade de diminuir a escala.

Em outra parte da entrevista, James Cameron disse que não acredita que a tecnologia por trás da IA ​​será capaz de substituir os escritores, dizendo: “Nunca é uma questão de quem escreveu, é uma questão de saber se é uma boa história?”

+++ LEIA MAIS: James Cameron nega que fará filme sobre submarino que implodiu indo ao Titanic: 'Rumores ofensivos'

“Eu pessoalmente não acredito que uma mente desencarnada que está apenas regurgitando o que outras mentes encarnadas disseram - sobre a vida que tiveram, sobre amor, sobre mentira, sobre medo, sobre mortalidade - e apenas junta tudo em uma palavra salada e depois regurgitar... Não acredito que isso tenha algo que vá comover o público”, continuou Cameron.

O roteirista e diretor também disse que “certamente não estaria interessado” em escrever roteiros de IA para seu filme, mas apenas o tempo dirá como a IA impactará a indústria. “Vamos esperar 20 anos, e se uma IA ganhar um Oscar de Melhor Roteiro, acho que devemos levá-la a sério”, disse ele.