Luca: Pixar quase incluiu personagem LGBTQ+ no filme; entenda

Animação da Pixar, Luca quase teve um personagem LGBTQ+ – e não era Luca nem Alberto

Redação Publicado em 21/03/2022, às 12h21

None
Luca, animação da Pixar (Foto: Divulgação / Disney+)

A equipe criativa de Luca (2022), filme da Pixar, tinha planos de colocar um personagem LGBTQ+ na animação e, diferente do que muitos pensam, não eram os protagonistas Luca e Alberto e sim a melhor amiga deles, Giulia. De acordo com fonte da Variety (via Omelete), o maior empecilho do estúdio era como mostrar isso sem colocar um interesso romântico para ela.

“Muitas vezes a gente se depara com a questão ‘como fazemos isso sem dá-los um interesse amoroso?’. Isso acontece com muita frequência na Pixar,” explicou. Anteriormente, o diretor Enrico Casarosa falou sobre as teorias de que Luca e Alberto eram personagens LGBTQ+ em entrevista ao The Wrap.

+++ LEIA MAIS: Sindicato da Animação critica apoio da Disney a projeto de lei anti-LGBTQ+; entenda

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Disney and Pixar’s Luca (@pixarluca)

 

De acordo com Casarosa,o filme é sobre amizade e por isso “não falamos muito sobre isso.” “Algumas pessoas parecem ficar bravas porque eu não estou dizendo sim ou não, mas eu sinto que, bem, este é um filme sobre estar aberto a qualquer diferença,” explicou.

A informação vem após uma polêmica envolvendo a Disney por conta do apoio do estúdio ao projeto de lei “Don’t Say Gay,” que proíbe as discussões sobre identidade de gênero em escolas norte-americanas. Em carta, também publicada pela Variety, funcionários da Pixar afirmaram que a Disney censurou cenas entre personagens LGBTQ+ em diversas produções.

+++ LEIA MAIS: 5 animações da Pixar para fazer você chorar: de Luca a Up - Altas Aventuras [LISTA]

“Nós, da Pixar, testemunhamos pessoalmente belas histórias, cheias de personagens diferentes e as revisões feitas pela Disney reduziam as histórias às migalhas em comparação ao que eram antes,” diz a carta. “Mesmo que a criação de conteúdo LGBTQIA+ fosse a resposta para corrigir a legislação discriminatória no mundo, estamos sendo impedidos de criá-lo.”

Em resposta, CEO da DisneyBob Chapek se desculpou pela falta de apoio do estúdio às causas LGBTQ+ e afirmou que interromperá as doações ao projeto “Don’t Say Gay.” “Vocês precisavam de mim para ser um aliado mais forte na luta por direitos iguais e eu lhes decepcionei. Sinto muito,” afirmou.

+++ LEIA MAIS:  5 lições que Luca, animação da Pixar, nos ensinou [LISTA]