Morre Breno Silveira, diretor de Dois Filhos de Francisco, aos 58 anos

Breno Silveira começou a ter destaque nos cinemas após trabalhar como diretor de fotografia em Carlota Joaquina, Princesa do Brazil

Redação Publicado em 14/05/2022, às 14h44

None
Breno Silveira (Foto: Divulgação)

Breno Silveira, diretor de sucessos como Dois Filhos de Francisco (2005) e Gonzaga: De Pai pra Filho (2012), morreu aos 58 anos após ter um mal súbito em Vicência, interior de Pernambuco, enquanto filmava Dona Vitória. Quem confirmou a informação foi a produtora Conspiração Filmes, segundo G1.

Dona Vitória, protagonizado por Fernanda Montenegro, acompanha uma aposentada responsável por acabar com uma quadrilha de policiais e traficantes graças a imagens gravadas da janela do prédio da protagonista, localizado em Copacabana, bairro no Rio de Janeiro.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Conspiração (@conspiracaofilmes)

+++LEIA MAIS: Ezra Miller: Site divulga imagens da prisão de ator de The Flash

Nascido no dia 5 de fevereiro de 1964 em Brasília, Breno Silveira começou a ganhar destaque na indústria após trabalhar como diretor de fotografia em Carlota Joaquina, Princesa do Brazil (1995), dirigido por Carla Camurati. Teve o mesmo cargo em Eu, Tu, Eles (2000), e ganhou o prêmio de melhor fotografia no Grande Prêmio Cinema Brasil daquele ano.

Começou a trabalhar como diretor em publicitárias para a televisão, além de vencer diversos prêmios da MTV por conta de videoclipes. Em 2001, comandou o documentário Mar Sem Fim. Também trabalhou como diretor de fotografia em La Serva Padrona (1998), Gêmeas (1999), Traição (1998) e O Homem do Ano (2003).

+++LEIA MAIS: Quem é Jack Depp, o filho pouco conhecido, mas muito parecido com Johnny Depp

Breno Silveira começou a carreira como diretor em Dois Filhos de Francisco, filme sobre a dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano considerado o mais visto de 2005. Foi diretor de Era Uma Vez... (2008), Eu e Meu Guarda Chuva (2010), Gonzaga: De Pai pra Filho, À Beira do Caminho (2012) e Entre Irmãs (2017).