O Túnel: 3 curiosidades sobre o filme sul-coreano: inspiração em naufrágio, falha no roteiro e mais [LISTA]

Filme de catástrofe sul-coreano, O Túnel fez sucesso ao retratar a história de um vendedor de carros preso nos escombros de um túnel

Vitória Campos (sob supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 28/09/2021, às 20h06

None
Ha Jung-woo em O Túnel (Foto: Divulgação)

Dirigido por Kim Seong-Hun, O Túnel(2016) se tornou um filme de sucesso na Coreia do Sul ao combinar drama e desastre com uma história original e envolvente - e arrecadou mais de US$ 52 milhões nas bilheterias mundiais. 

Com Ha Jung-woo, Bae Doona e mais no elenco, a produção conta a história de um vendedor de carros que, ao sair do trabalho, acaba preso nos escombros de um túnel após o mesmo desabar sobre ele. Agora, a equipe de resgate luta contra o relógio para resgatá-lo. 

+++ LEIA MAIS: 13 curiosidades sobre Parasita que você não sabia: tudo sobre o vencedor do Oscar 2020

Confira três curiosidades sobre O Túnel:


Sucesso entre a crítica 

O Túnel ganhou o carinho do público ao retratar a história de Lee Jung-soo (Ha Jung-woo). No entanto, o filme também se destacou de maneira surpreendente entre a crítica especializada. No site Rotten Tomatoes, a produção conquistou 100% de aprovação.

+++ LEIA MAIS: Parasita entra para a história e se consagra o grande vencedor do Oscar 2020 com 4 prêmios


Falha no roteiro 

Segundo o IMDb, há uma falha no roteiro do filme. Quando Jung-soo encontra Mi-Na (Nam Ji-hyun), descobrem que o telefone dela quebrou e não pode ser usado. Ela pergunta para ele se pode ligar para alguém e, sem lhe dizer o número de telefone, ele liga para a mãe dela em seu próprio telefone. Mas, como Jung-soo sabia o número?


Naufrágio do Sewol inspirou o filme

Mesmo não sendo baseado em uma história real, O Túnelteve leve inspiração no naufrágio do Sewol, acidente marítimo ocorrido na Coreia do Sul em abril de 2014.

+++ LEIA MAIS: Veja desenhos de Bong Joon-Ho para Parasita - e compare com resultado final

"Como a tristeza ainda é válida, não pude deixar de pensar no naufrágio de Sewol quando fiz o filme de desastre, e achei impossível excluir a memória,” explicou o diretor Kim Sung-hoon em entrevista.