Oscar 2023 não aceitará filmes lançados apenas no streaming; entenda

A nova medida não proíbe a indicação de filmes lançados em plataformas de streaming, apenas exige que eles também sejam exibidos no cinema

Redação Publicado em 18/05/2022, às 21h17

None
Estatuetas do Oscar (Foto: Bryan Bedder / Getty Images)

Academia de Artes e Ciências Cinematográficas divulgou nesta quarta, 18, um novo regulamento para o Oscar. Nele, foi revelado que os filmes elegíveis para a premiação não poderão mais ser lançados apenas no streaming.

A medida havia sido flexibilizada devido à pandemia, mas, agora, voltou ao normal. Com isso, os filmes devem ser exibidos nas telonas entre 1º de janeiro de 2022 e 31 de dezembro de 2022. Além disso, devem estar disponíveis em cinemas selecionados para serem elegíveis nas categorias do Oscar. 

+++LEIA MAIS: Oscar 2022: Whoopi Goldberg acredita que Will Smith recuperará carreira: 'Ele vai ficar bem'

Essa regra não proíbe a indicação de filmes lançados em streaming, eles apenas precisam ser exibidos nos cinemas por um período determinado. 

Mais sobre o Oscar 2023

A cerimônia da 95ª edição do Oscar acontecerá no dia 12 de março no Dolby Theatre, em Hollywood, Califórnia. O prazo de inscrição para as categorias gerais de inscrição será em 15 de novembro de 2022, e as listas preliminares devem ser anunciadas em 21 de dezembro. A votação dos integrantes da Academia para as indicações ocorrerá entre os dias 12 e 17 de janeiro de 2023, após o término do período de elegibilidade na véspera do Ano Novo.

+++ LEIA MAIS: Will Smith é banido do Oscar por 10 anos

Já as indicações para o Oscar 2023 serão reveladas em 24 de janeiro, com a votação final marcada para a semana anterior à cerimônia, 2 a 7 de março. Oscar foi criado em 1927, mas teve a primeira cerimônia realizada em 1929. A edição de 2023 será a 95ª da história da cerimônia.