Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Uma Thurman e Samuel L. Jackson, de Pulp Fiction, estrelam novo filme juntos

Uma Thurman e Samuel L. Jackson trabalharam com Quentin Tarantino em 1994 e agora retornam em novo projeto juntos

Redação Publicado em 05/04/2022, às 17h27

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Uma Thurman (Foto: Matthias Nareyek/Correspondente) e Samuel L. Jackson (Foto: Greg Campbell / Getty Images)
Uma Thurman (Foto: Matthias Nareyek/Correspondente) e Samuel L. Jackson (Foto: Greg Campbell / Getty Images)

Após Pulp Fiction (1994), Uma Thurman e Samuel L. Jackson se unem novamente na comédia sombria The Killer Room. De acordo com The Hollywood Reporter, filme é escrito pelo roteirista Jonathan Jacobson e dirigido por Nicol Paone.

“Fazer The Kill Room – com um roteiro já incrível – com Uma Thurman e Samuel L. Jackson está além dos meus sonhos mais loucos,” disse o diretor. “Cada momento em que estão na tela, são invejáveis e atraentes. Sou eternamente grato a ambos por dizerem sim.”

+++ LEIA MAIS: Star Wars: Samuel L. Jackson não pediu por Easter egg de Pulp Fiction no filme; entenda

Segundo o site, a trama de The Killer Room acompanha Jackson como chefe de um assassino de aluguel e Thurman como uma negociadora de arte. No entanto, eles se envolvem em um esquema de lavagem de dinheiro que cria um conflito entre o mundo do crime e da arte.

Por enquanto, The Killer Room não tem data de estreia divulgada.

+++ LEIA MAIS: Samuel L. Jackson comenta críticas às produções da Marvel: 'Todos os filmes são válidos'


Samuel L. Jackson defende termo racista em filmes de Tarantino: 'É um contexto'

Para Samuel L. Jackson, uso da N-word (palavra com N, em tradução livre) em filmes é justificável. O ator defendeu o cineasta Quentin Tarantino por utilizar termo racista em roteiros e condenou humorista Joe Rogan em entrevista ao jornal The Times (via Estadão). 

 "Está tudo bem se a palavra for usada como um elemento da história, dos temas dela. Uma história de ficção é um contexto. Mas usar palavras derrogatórias só para arrancar uma risada de alguém? Isso é errado," argumentou. Jackson trabalhou com Tarantino em diversas produções, como Pulp Fiction (1994) e Kill Bill: Volume 2 (2004).

+++ LEIA MAIS: Samuel L. Jackson critica Oscar: ‘Atores negros só ganham por coisas desprezíveis na tela’