Cansei de ser mãe

Quatro anos após o fim do Cranberries, Dolores O'Riordan volta à cena

José Julio do Espirito Santo Publicado em 17/08/2007, às 15h13 - Atualizado em 01/09/2007, às 15h13

Dolores quer curtir a vida
Divulgação

Rumores sobre o início da carreira solo de Dolores O'Riordan são bem antigos. Começaram a surgir em 1994, durante a turnê após o lançamento de No Need to Argue, segundo álbum dos Cranberries, nove anos antes de a banda oficialmente pendurar as chuteiras ("temporariamente", segundo os próprios integrantes. O guitarrista Noel Hogan lançou seu projeto solo, Mono Band, e o baterista Fergal Lawler se prepara para o lançamento do primeiro disco solo do The Low Network). Notícias do limbo se comparadas a Are You Listening?, álbum de estréia da vocalista do quarteto irlandês.

"O disco iria ser lançado antes, mas houve umas pendengas de contratos no caminho", Dolores se justifica pelo telefone, enquanto viaja de trem para cumprir compromissos antes de sua turnê, que passa pelo Rio de Janeiro (26 de agosto) e São Paulo (28). "Não existiu nenhuma fórmula ou determinação sobre prazos. Foi um hobby. Eu escrevia de noite e nos finais de semana, quando eu tinha mais tempo. Algo que fiz como terapia, para escapar da rotina."

A vida mansa foi necessária para alguém que já enfrentava uma curva descendente do sucesso dos Cranberries e batalhava contra crises de ansiedade e anorexia. Ao falar sobre "Ordinary Day", primeiro single do disco, Dolores, mãe de três filhos, relembra a vida doméstica: "Fazia o café da manhã e levava as crianças para a escola, limpava a casa, colocava a roupa para lavar. Curtia fazer essas coisas".

Talvez não curta mais. Antes de a turnê iniciar, ela ainda grava o videoclipe "When We Were Young", em Paris, e faz mais shows. "Sinto como se tivesse tirado férias bem longas", diz a cantora. "Na verdade, quase me senti aposentada. Daí, meio que senti falta de cantar. Voltei."