Caldo Caótico

Eclético, Coletivo Rádio Cipó conecta o experimental e o popular

Alex Antunes Publicado em 21/09/2007, às 16h54

Rádio Cipó: navegando em águas turbulentas
Daigo Oliva (RÁDIO CIPÓ)

Como em muitas cidades médias do Brasil, a ortodoxia do rock já mandou na cena em Belém do Pará. Mas ritmos locais e outros ingredientes - como a influência caribenha - conspiraram para criar um saudável caos sonoro que vem modificando a percepção pop. E a banda que talvez faça hoje a navegação mais ágil nesse caldo é o Coletivo Rádio Cipó. Nascido em 2002, quando o baterista/programador Carlinhos Vas montou um estúdio caseiro, o CRC tem talento para juntar experimental e popular, do hip-hop ao brega, usando o dub e o funk como linhas de condução. Mas quem sempre rouba a cena é o octagenário Mestre Laurentino, com sua gaita, voz e presença elétrica, auto-intitulado "o roqueiro mais antigo do mundo" (seu hit "Lourinha Americana", que ganhou uma roupagem rock, foi composto quando o gênero ainda nem existia, na década de 1940). Ele e dois outros veteranos, Dona Onete e Mestre Bereco, também são colaboradores assíduos. "Conheci-o em 1998, tocando num festival de rock. Em 2002, saí atrás dele, com umas bases eletrônicas para ele tocar por cima", conta Vas.

Hoje, o Coletivo conta também com Ratoboy (voz e megafone), Rodrigo Jamant (voz e samplers), Renato Chalu (guitarra), Jarred das Arábias (baixo) e Luiz Bolla (percussão) - mesma formação do álbum Formigando nas Calçadas do Brasil (2005), que será relançado com o DVD EletroFunkDubSocial - registro dos ensaios públicos e oficinas na comunidade de Pedreira. "Meus pais tinham uma boate nos anos 80 e eu ouvia [Led] Zeppelin, [Pink] Floyd, Chico Buarque e Sly & the Family Stone", conta Chalu, sobre o ecletismo do grupo. Pergunto por Mestre Laurentino, ausente na entrevista. "Ele tá relaxando no interior. Ele dança, toca gaita, toma vinho e ainda canta as meninas", ri Jarred. Se no século 16 o espanhol Ponce de Leon vasculhou a Flórida atrás da fonte da juventude, talvez devesse ter procurado um pouco mais ao sul.