2fuzz

Grunges da terra do sol

Bruno Dias Publicado em 09/01/2008, às 10h43 - Atualizado em 11/01/2008, às 16h23

2Fuzz (da esq. para a dir.): Vitor Colares, João Victor e Hugo Lopes

Formada em 2000 por João Victor (vocalista e guitarrista) e Hugo Lopes (baixista), que no decorrer dos anos ganharam a companhia de Vitor Colares (guitarra) e Herveson Santos (bateria), o 2Fuzz é a prova da grande diversidade musical de Fortaleza (CE). "A mídia está voltada para cá por estar reconhecendo o valor do que vem sendo produzido na capital. Se os grupos daqui não fossem bons, isso não aconteceria", admite Hugo. "Acho que hoje fica difícil achar um único rótulo e muito menos defini-lo como estilo. Estamos em constante movimento. Se fôssemos fazer uma lista de grupos que nos influenciam, talvez não coubesse nesta página."

Ouça a música Dubious Situation no pé desta matéria

Confira outras canções do 2Fuzz no MySpace oficial da banda, aqui

O som do 2Fuzz remete ao grunge dos anos 90, com guitarras pesadas, melodias fortes e letras cantadas em inglês, escritas durante os "bons momentos" do vocalista João Victor. "Espero para fazer as letras quando estou em um momento especial, diferente. E posso dizer que minha inspiração vem do meu mundo. Tento botar no papel um pouco do autismo que eu e todo mundo tem", exagera.

Em 2003, o grupo estreou em disco com Amousía, que rendeu uma série de shows por festivais pelo Brasil e um convite para participar do 18º Festival Internacional de Música Universitária, em Belfort (França). "Passamos por uma experiência única de estar em uma cidade francesa com 15 palcos, mais de 100 grupos de todo o mundo se apresentando durante três dias e tudo aberto ao público. Fizemos dois shows, sendo um o de encerramento para aproximadamente 5 mil pessoas", comemora Hugo.

Após passar o ano divulgando o segundo disco, Limen (2006), o 2Fuzz já se prepara para novos desafios. "Expandimos muito o nosso universo musical e achamos que deveríamos atualizar a atmosfera de nossas músicas para essa nova maneira de pensar e de ver", avisa o vocalista João Victor. "A gente só está a fim de 'tirar um som' pra ver no que dá, como se nunca tivéssemos tocado juntos antes."