Bo$$ in drama

Dançar sem pensar

Paulo Terron Publicado em 09/01/2008, às 10h45 - Atualizado em 11/01/2008, às 16h26

Péricles Martins, o curitibano one-man-show por trás do Bo$$ in Drama, cria verdadeiros arrasa-quarteirões de pista que já começam a aparecer nas casas noturnas brasileiras e estrangeiras. A carreira é curta, mas já se movimentou bastante: primeiro Péricles formou o Gomma Fou, em 2006, um duo de electro-rock que durou o suficiente para se apresentar no festival Motomix daquele mesmo ano.

Ouça a canção Shake no pé desta matéria

Conheça outras músicas do Bo$$ in Drama no MySpace, aqui.

Na seqüência, foi a vez de outra dupla, dessa vez com Pedro D'Eyrot, o MC do Bonde do Rolê. "Encontrei com ele no começo de 2007, que tinha acabado de voltar da turnê norte-americana com o Cansei de Ser Sexy e o Diplo", explica Péricles. "A gente ficou uns três dias e noites fazendo música, e demos o nome do projeto de Grrrave Maker." O grupo chegou até a marcar uma apresentação ao vivo em Porto Alegre, mas teve de cancelá-la porque Pedro foi para a Europa com o Bonde. "Além disso, não terminamos nada a tempo: só tínhamos alguns pedaços de músicas e demos", lamenta.

As sobras foram retrabalhadas e deram origem a faixas como "Shake", já com Péricles assumindo programações e voz. Ele faz tudo em casa e sozinho: cria as bases no computador e grava os vocais com um microfone de computador, desses baratinhos e vagabundos. Funcionou tão bem que os contatos não param de aparecer. "Vou lançar um remix pelo selo alemão Bungalow no ano que vem e estamos vendo a possibilidade de lançar o single de 'Shake'", comemora.

O segredo é simples: ser pop sem medo. "Eu amo a cultura pop e tudo relacionado a ela. É divertido ver como as coisas andam no mainstream e no underground - e quando as duas se juntam é mais incrível ainda! Minha música não tem mensagem subliminar e nem é feita para ser estudada", decreta. "O que você ouve é o que você pega. É música pra se divertir, pra ouvir fazendo qualquer outra coisa. Muita gente tem preconceito ou faz carão quando jogo um sample da Britney ou do C&C Music Factory no meu live set. Elas se acham muito cool para o pop. Talvez elas não sejam cool o suficiente para entender a brincadeira!"