Relatos da invasão

Trio divulga a mensagem social do rap pelas pistas de dança

André Maleronka Publicado em 09/01/2008, às 10h40 - Atualizado em 11/01/2008, às 16h19

Direto da zona norte de São Paulo, o Relatos da Invasão é (da esq. para a dir.): MC Thig, MC Negrinho e DJ Pampa

"Hoje em dia, os grupos de rap dependem muito dos DJs", declara Thig, MC do Relatos da Invasão. Ele se refere tanto à escassez dos shows e abundância de baladas com discotecagens em São Paulo como à história de seu próprio grupo. Thig, ao lado do MC Negrinho e do DJ Pampa, produz o rap nacional mais tocado na noite paulistana atualmente. "Jaçanã Picadilha" tornou-se hit de maneira absolutamente orgânica: estourou nas pistas antes da estréia do Relatos nas prateleiras das lojas de discos.

Escute a canção Jaçanã Picadilha no pé desta matéria

Conheça outras músicas no MySpace do grupo, aqui

O trio deu seus primeiros passos em um concurso promovido pela revista Rap Brasil. O DJ QAP (SP Funk) assistiu à apresentação e ofereceu seu estúdio para que gravassem. "Jaçanã Picadilha" é conduzida pelas rimas entusiasmadas de Thig e Negrinho em cima de um beat minimalista produzido pelo DJ Marco (ex-Possemente Zulu, atual Céu), e versa sobre um descontraído passeio de bicicleta pelo bairro de origem do grupo, Jaçanã (zona norte de São Paulo). A narrativa dos MCs tem formato de conversa informal e cobre aspectos do cotidiano com bom humor e suingue singulares.

"Somos pessoas novas e estamos acompanhando o tempo. Temos necessidade de fazer nossa própria identidade e não repetir o que já foi falado. Queremos mostrar outras verdades", discorre Thig. "O rap está precisando disso, de assuntos diversos. É como o samba, que tem várias vertentes e fala de vários assuntos." A maneira criativa que encontraram para combinar as diversas características do samba é a tônica e uma das principais qualidades de É o Gigante, disco de estréia do Relatos da Invasão. Outro predicado é a maneira com que abordam temas cândidos, como relacionamentos, ou pesados, como o preconceito racial e a miséria. Em vez de atuarem com ingenuidade, praticando denuncismo fácil ou contos estáticos, o trio encarna uma espécie de comentarista social bem-resolvido. "A gente é feliz em ser quem é", completa Negrinho.

A realização de É o Gigante foi o capítulo seguinte desse conto de fadas do rap. "O KL Jay [DJ do Racionais MC's] ouviu algumas músicas, me pediu pra tocar no programa de rádio dele e viu o 'boom' que as músicas estavam fazendo", comemora Thig. "Jaçanã Picadilha" virou hit na programação da rádio, o que levou o álbum a sair pelo selo Equilíbrio, de propriedade do próprio KL Jay.

Recentemente, foram indicados a duas categorias do prêmio Hutúz (não levaram) e contratados como colaboradores do De Fora F.C., blog de futebol da Nike em que eles escrevem sobre o esporte favorito. Com uma música estourada no circuito, o disco na rua e a boa reputação conquistada nas dinâmicas apresentações ao vivo, a trilha do Relatos parece promissora.