A Ira de Nasi

Prestes a reativar carreira solo, o cantor recomeça a vida longe do Ira!

José Julio Espírito Santo Publicado em 07/03/2008, às 17h17 - Atualizado em 15/04/2008, às 19h16

Nasi, em nova fase: ele não esqueceu o Ira!

As principais razões da saída de Nasi do Ira!, banda que ajudou a fundar e manter por 26 anos, estão longe de serem resolvidas. Envolvem contratos, dinheiro, brigas em família e rusgas entre amigos - tudo o que os fãs do quarteto paulistano não ouviram nas músicas compostas pela banda ao longo da carreira. E o que começou como um desabafo em uma revista de celebridades tomou proporções judiciais.

A poeira ainda não se assentou, e Nasi nem quer isso. Embora sonhasse com as férias do Ira! em 2008, ele não se acomoda: montou uma nova banda com velhos parceiros. "Sabe quem vai tocar comigo agora?", Nasi instiga a curiosidade com entusiasmo incontido. "Ricardo Gasparini." Gaspa, baixista do Ira!, integra o time de músicos que vão acompanhar Nasi nos shows. Além dele, o guitarrista Nivaldo Capopiano, do Muzak, cultuada banda dos anos 80, Junior Moreno, baterista do Blue Jeans, e Adriano Grineberg, tecladista "oficial" do Ira!, completam a escalação feita às pressas. "Quero fazer uma síntese de minha carreira", diz o cantor. "Coisas do meu trabalho solo, da fase blues, do meu disco mais recente, do Ira! e até dos Voluntários da Pátria, que estou a fim de voltar a tocar." Os primeiros shows da Nasi Band já estão marcados: o primeiro acontece em 15 de março, no Clash Club (SP).

Enquanto a briga com Junior, seu irmão e empresário do Ira!, estava em seu conturbado início, uma nova experiência surgia para o cantor. De certa forma, ele canalizou sua raiva e angústia para um personagem que irá interpretar em Sem Fio, longa-metragem do diretor gaúcho Tiaraju Aronovich. "Faço o papel de um cara que faz atendimento no Centro de Apoio à Vida, que atende depressivos e suicidas, mas é cético e niilista." A estréia está prevista para o próximo semestre, mas a exibição do trailer é prometida no próximo show de Nasi.

Ainda que entusiasmado com novas perspectivas, o cantor não esquece a mágoa. "Estou recomeçando minha vida em vários aspectos. Durante esses anos, deleguei muita coisa da minha vida para decisões com ele", explica, referindo-se ao ex-empresário e - como se isso pudesse existir - ex-irmão. "A gente se acomodou muito." Acomodaram-se ao ponto de não saber que não tinham os direitos sobre o uso do nome da banda. "Ingenuidade", classifica Nasi. "A gente achou que o nome 'Ira!' estava registrado em nome de nós quatro. Não estava. Estava registrado em nome do Junior. O nome deveria pertencer a mim e ao Edgard. Fui eu e ele que montamos essa banda", decreta.