Com a Banda na Rua

Fanfarra Paradiso promove festas e histórias imaginárias

Adriana Alves Publicado em 07/03/2008, às 14h29

Fanfarra é Tatiana, Pedro, Gustavo, Daniel Zamith, Ricardo, Daniel Paiva, Daniel Vieira, Paula e Rafael

Qualquer lugar é lugar para a banda carioca Fanfarra Paradiso montar seu equipamento e colocar o público para dançar: do calçadão da praia de Copacabana ao luxuoso Jockey Club, de churrasco na casa de amigos à livraria. "O legal de nos apresentarmos nos locais mais absurdos é que o público também é muito heterogêneo. É bom ver que, mesmo fazendo um som instrumental sem intenção de ser comercial, conseguimos agradar gente de todo tipo e idade", conta a guitarrista Tatiana Tabak, que completa o grupo ao lado de Pedro Sampaio (bateria), Gustavo Bragança (baixo), Daniel Zamith (guitarra), Ricardo Rito (teclado), Daniel Paiva (trompete), Daniel Vieira (sax tenor), Paula Camargo (sax alto) e Rafael Queiroz (flauta).

As tais "apresentações em locais absurdos" têm garantido espaço e fãs à Fanfarra Paradiso, mesmo sem um disco lançado. Na internet, apenas uma faixa, "Café Margoso", pode ser ouvida pelo MySpace. A música começa com uma bateria quebrada, segue com uma linha virtuosa de baixo e abre espaço para guitarra, teclado e um naipe de metais, em uma mescla de estilos que passa pelo jazz, funk, rock setentista e música brasileira, tudo com sonoridade de big band. O lado ska é o mais evidente e remete a bandas como New York Ska Jazz Ensemble - referência declarada da Paradiso -, e Squirrel Nut Zippers. Nesta mistura, a opção por não ter um vocalista não tem atrapalhado. "Acho que é possível dizer muita coisa com uma melodia", diz o trompetista Daniel Paiva. "Dá pra criar um clima em que cada um imagina uma história, então optamos pelo instrumental."