Pulse

História de Pescador

Com letras bem-humoradas, a banda LEME investe em salada de ritmos

Adriana Alves Publicado em 14/04/2008, às 15h06

LEME (Da esq. para a dir.) Flu, De Leve e Luciano, no Rio de Janeiro, de costas para o mar, inspiração forte nas composições

Ao entrar no myspace dos cariocas da Leme, a primeira coisa com que o visitante se depara é uma foto da nadadora Rebeca Gusmão - envolvida em um ainda não solucionado caso de doping. A imagem da atleta estampa o site durante a execução de "Nadadora", uma das primeiras composições do trio formado por De Leve, ex-membro do coletivo Quinto Andar, o baixista Flu, ex-Defalla, e o guitarrista Luciano Granja, ex-Engenheiros do Hawaii: "Você é nadadora/ Mas não entra na água/ Você pode não passar roupa/ Mas já parece a tábua/ Eu adorei seu jeito anatômico de ser/ Igual a um fósforo/ Se fósforo pudesse crescer." Na faixa, De Leve deixa de lado suas costumeiras rimas de MC e canta por cima de um instrumental dançante que chega a flertar com a disco music. A letra, bem-humorada, segue no ritmo de declaração de amor: "Você é nadadora/ Nada de frente, nada de costas / Você é nadadora/ Mas tem quem goste".

A vontade de cantar melodicamente já aparecia discretamente desde o penúltimo disco solo de De Leve, Manifesto 1/2 171 (2006). "Não é apenas uma questão de mudança, não troquei um pelo outro. Foi uma coisa progressiva que vem da vontade de fazer coisas diferentes, pela disposição de inovar, criar, se divertir. E pelo desejo de morar no Leme, claro", explica o vocalista, referindo-se ao bairro carioca que inspirou o nome da banda. "Quando cheguei à casa do Luciano e vi a vista pro mar do Leme, pensei: 'Pô, quero ganhar uma grana e vir morar aqui também'." O gaúcho Flu completa: "Sempre é bom colocar um objetivo a ser alcançado, e esse não deixa de ser um desejo nobre".

Até o início de março, a Leme havia realizado apenas uma apresentação ao vivo, em dezembro de 2007, no Cinemateque (RJ). "As fãs enlouqueceram, mas não sei se foi porque gostaram ou se porque a caipirinha estava muito forte", brinca Luciano. "Era tanta gente, que não deu para ver direito como o povo reagia. Mas, como eu estava bêbado, tudo parecia bom para mim", diz De Leve, que paralelamente também lança um novo disco, De Love, disponível para download gratuito no Trama Virtual. Já o disco de estréia da Leme será lançado de maneira independente em maio, mas as composições, que passeiam por ritmos diversos como ska, reggaeton e rap, já podem ser ouvidas na internet.

Seguindo a linha bem-humorada proposta pelas letras, a página do trio no MySpace sustenta uma história de ficção na qual De Leve é "Freitas", Flu é "Santos" e Luciano é "Frias", três pescadores que observavam seus sobrinhos criarem música utilizando um computador antigo: "Santos e Frias estavam à busca de um cantor carismático, mas, na falta deste, Freitas, um antigo companheiro de pesca que acabou seduzido pela pinga, foi aceito, pois era um dos poucos que conseguia entender o que ele mesmo compunha", diz o texto descritivo publicado no site. Ao final da entrevista, Flu define: "Se a música da banda Leme fosse um filme, seria O Bandido da Luz Vermelha, porque tem uma ironia ácida, mas com ternura!"