Pulse

Uma Música por Vez

Distante do álcool e das drogas, Mark Lanegan lança mais um projeto paralelo

Carlos Messias Publicado em 09/04/2008, às 16h03 - Atualizado em 15/05/2008, às 17h58

Mark Lanegan: fase sóbria

Líder do extinto Screaming Trees, autor de seis álbuns solo e membro "honorário" do Queens of the Stone Age, Mark Lanegan não se cansa de trabalhar. Seu mais novo lançamento é Saturnalia, disco de estréia da dupla The Gutter Twins, projeto ao lado de Greg Dulli, ex-vocalista do Afghan Whigs e, hoje, do The Twilight Singers. "Ficamos tão satisfeitos com o disco que espero que essa se torne uma banda duradoura", admite Lanegan, 43 anos.

Entre as incontáveis colaborações do vocalista, a que mais o destacou foi junto ao Queens of the Stone Age, que contou com sua participação desde o segundo álbum, Rated R (2000). "O Queens recuperou a minha vontade de fazer rock", declara. "Na minha opinião, é a melhor banda do mundo." No ano passado, Lanegan também participou do segundo disco da dupla, Soulsavers, escrevendo as letras e cantando em oito faixas. De quebra, encontrou tempo para regravar "Man in the Long Black Coat", de Bob Dylan, para a trilha do filme Não Estou Lá. "Tenho uma lista de algumas poucas pessoas que são de um outro mundo, e Dylan é uma delas [risos]", reconhece o soturno vocalista, cujo álbum favorito do ícone norte-americano é Blood on the Tracks (1975), um clássico sobre desilusões amorosas. O que não é nenhuma surpresa, dado o teor melancólico e intimista do seu trabalho, marcado por entonações graves e ásperas. "Desde o meu primeiro disco solo [Winding Sheet, de 1989], sempre procurei recriar o clima do blues."

Com um conhecido passado de abusos de álcool, crack e heroína, Lanegan faz questão de afirmar que sua realidade hoje se encontra bem distante dos bares decadentes que freqüentava. "Tomei meu último drinque já faz cinco anos. Havia bebido o suficiente para dez vidas inteiras e resolvi parar, tanto com o álcool quanto com o resto." O Gutter Twins (que significa "gêmeos da sarjeta") nasceu durante essa transição, quando Lanegan e Dulli estavam na pior. "Estivemos juntos tanto nos bons quanto nos maus momentos. Greg é o meu melhor amigo e esteve lá por mim quando lutei, o que tentei retribuir quando foi a vez dele." O resultado pode ser conferido em Saturnalia, um disco que traz a experiência crua de dois homens que desceram ao fundo do poço - e voltaram para contar a história.