Nexo Improvável

NXZero grava o que chama de "primeiro CD de verdade"

Paulo Terron Publicado em 07/05/2008, às 17h54 - Atualizado em 04/08/2008, às 18h09

NXZero em horário de trabalho no estúdio Midas, em São Paulo

Álbum ainda sem nome.

Previsão: meio de junho

Há horas nas quais só a juventude salva - e o NXZero sabe muito bem disso. A correria da agenda de shows da banda paulistana fez a gravação do novo CD ser resumida a 20 apertados dias no estúdio Midas, em São Paulo. Parece pouco, mas foi menos ainda: para aparar as arestas das novas composições e ensaiar os arranjos, os músicos só conseguiram dez dias livres de compromissos. "Mesmo assim ainda apareciam umas coisas, uns programas de TV", corrige o baterista Dani Weksler. O resultado - além das 13 faixas inéditas (mais um interlúdio e a versão de "Apenas Mais Uma de Amor", de Lulu Santos) - foi uma gastrite nervosa do vocalista Di Ferrero. "Não conseguia dormir, estava com uma pressão dentro de mim. E isso também serviu de inspiração", diz o cantor.

A solução foi extravasar na gravação mesmo, segundo o baixista Caco Grandino. "Muita coisa do que rolou foi feita na hora, gravando. Foi assim com uns 40% dos arranjos e das letras." Por mais incrível que pareça, o resultado final não soa improvisado ou apressado. A faixa "Daqui pra Frente" tem um vocal seguro, com variações rítmicas que lembram os melhores momentos do já veterano Fall Out Boy (influência declarada do quinteto brasileiro).

Rick Bonadio e Rodrigo Castanho produziram o novo trabalho (ainda sem nome, mas com alguns candidatos: Daqui pra Frente, Na Hora Certa, Como Tem que Ser), que acrescenta outros elementos ao núcleo roqueiro básico da banda (estão lá piano, violino, violoncelo) e até um rap, cantado por Túlio Deck em "Bem ou Mal". "Mas tem um monte de hardcore também", completa o guitarrista Gee Rocha. "Mais pesados até que os do disco anterior."

O terceiro álbum do NXZero (o segundo pela Arsenal, que é distribuída pela Universal Music) será puxado por "Cedo ou Tarde", que deve chegar às rádios em breve. "O grande lance é que é o nosso primeiro CD de verdade", explica Weksler. "As músicas do NXZero (2006) não eram da mesma época. Neste todas se encaixam."