Funk de Gaúcho

Edu K e DJ Chernobyl carregam o ritmo carioca para festivais pelo mundo

Marcelo Ferla Publicado em 09/06/2008, às 17h15

Preparado: Edu K em versão 2008

Figura carimbada da vanguarda do rock feito no Rio Grande do Sul, o ex-vocalista do De Falla, Edu K, deu mais uma guinada em seu som mutante a partir de 1999: ao produzir o álbum Broncas Legais, da Comunidade Nin-Jitsu, ele tomou contato com o funk carioca. Um ano depois, Edu sintetizou a nova influência em "Popozuda Rock'n'Roll", o mix de rock com miami bass rebatizado "miami rock". Em 2006, fez três turnês pela Europa, Estados Unidos e Canadá mostrando seu som eletrônico brasileiro pra estrangeiro ouvir. Lá, lançou o disco Frenétiko, pelo selo alemão Man Recordings. No ano passado, Edu K retornou para shows no Velho Mundo, por onde também esteve Fredi Endres, guitarrista da Comunidade. Rebatizado DJ Chernobyl, Fredi tocou na Suécia e no Fuji Rock Festival, do Japão.

Você lê esta matéria na íntegra na edição 21 da Rolling Stone Brasil, junho/2008