Muito Prazer

Antes de shows no Brasil, Fujiya & Miyagi e Go! Team revelam o que têm em comum

José Julio do Espirito Santo Publicado em 09/06/2008, às 17h22

FESTA Os seis do Go! Team

Mesmo que aos poucos venham ocupando nichos distintos dentro da música, tanto o sexteto The Go! Team quanto o trio Fujiya & Miyagi possuem várias coincidências entre si - além do fato de tocarem na edição 2008 do festival Motomix, que acontece em 28 de junho, em São Paulo, com entrada gratuita. Ambos vêm de Brighton (Inglaterra), que cada vez mais vira o lar de bandas de outras paragens. "É perto do mar", Steve Lewis, a cargo dos sintetizadores e voz de apoio no Fujyia & Miyagi, tenta explicar o magnetismo da cidade. "A maioria das pessoas daqui não nasceram aqui", comenta. Ian Parton, que fundou o The Go! Team e toca guitarra, gaita e bateria no grupo, é outro imigrante de Brighton que diz que a cidade possui uma grande quantidade de bandas, mas nenhuma cena. "Há muitas agora, como British Sea Power, The Kooks ou Blood Red Shoes", ele cita, "mas cada uma é diferente da outra. Nunca nos considerei parte de uma cena e tenho orgulho de ser assim. Conseguimos até escapar de sermos chamados de new rave". As duas bandas, que surgiram antes de o termo "new rave" existir, não poderiam ser mais diferentes no que diz respeito à sonoridade. O Go! Team, que já teve as inusitadas participações de Chuck D e Marina (ex-Bonde do Rolê) em uma faixa do novo álbum, traz uma mistura de rock, hip-hop, samples dos mais variados e muito ritmo, com duas pessoas - às vezes até três - na bateria. "Aumenta bastante o dinamismo quando alguém, de repente, junta-se ao baterista para detonar", brinca Parton. No Fujiya & Miyagi, que tem o Kraurock como padrinho musical, há até pouco tempo a bateria era eletrônica. "Agora temos um baterista de carne e osso e vamos levá-lo para nosso show aí", Lewis revela. Distantes dos rótulos da vez e ansiosas para conhecer o Brasil, as duas bandas, pouco conhecidas por aqui, devem chamar a atenção.