Ele Veio do Frio

Equilibrando carreiras de músico e escritor, Vitor Ramil luta para derrubar gêneros e velhos clichés

Por Marcelo Ferla Publicado em 09/09/2008, às 11h54 - Atualizado às 16h26

Sem descanso: Ramil produz discos, livros e teses

Vitor Ramil canta sua aldeia para dialogar com o mundo, mas o que é clichê nesta frase ganha um novo sentido na obra deste cantor, compositor e escritor nascido em Pelotas (RS), irmão mais novo da clássica dupla Kleiton & Kledir. Desconfortável se inserido nas generalizações de rótulos como MPB ou música regional, Ramil se situa onde o pop de Caetano, o tango de Astor Piazolla, o rock dos Beatles e a contemporaneidade de Jorge Drexler se conectam.

Workaholic e independente, enquanto ainda colhe os elogios por seu segundo livro, Satolep, se prepara para um segundo semestre sem lacunas na agenda. Na Espanha, vai tocar em Madri e Barcelona para lançar o disco que lhe rendeu o Prêmio Tim de Melhor Cantor pelo Voto Popular, Satolep Sambatown (2007), feito em parceria com o percussionista Marcos Suzano.

Você lê esta matéria na íntegra na edição 24 da Rolling Stone Brasil, setembro/2008