Sem Fronteiras

LES RESPONSABLES fazem rock francês com atitude gaúcha

Por <b>Fabiana Caso</b> Publicado em 12/12/2008, às 15h13

Existe uma ponte musical que une Paris a Porto Alegre. Pelo menos, no que concerne ao rock. Mais especificamente, aos compassos diretos de Jacques Dutronc, às melodias de Nino Ferrer e às atmosferas criadas por Serge Gainsbourg. Com nova formação, o Les Responsables voltou à ativa - hasteando a bandeira que une o poético universo musical francês cantado à vitalidade roqueira dos gaúchos. Depois de ter duas músicas na trilha da série 9mm (Fox), desde setembro a banda está em estúdio, gravando o primeiro álbum pelo selo Sol Discos.

O vocalista parisiense Erwan Pottier e o baixista gaúcho Felipe Faraco agora são acompanhados pelo guitarrista Pedro Pastoriz e pelo baterista Luciano Bolobang, ambos de Porto Alegre. As influências francesas mesclaram-se aos temperos do jazz (cortesia de Luciano), às pitadas de Tom Waits, John Zorn, entre outros elementos. "Somos quatro compositores, aumentou o nível da troca de idéias. O som está mais solto e criativo", contextualiza Faraco sobre o disco, previsto para 2009. "As músicas têm cheiro de cerveja gelada e cigarro. Não é nada esterilizado", garante Pedro.

Sociólogo, Pottier largou emprego na indústria fonográfica francesa, aceitando convite para fazer um doutorado na PUC-RS - seu trabalho foca o olhar estrangeiro sobre o imaginário de Porto Alegre. Nascido em Paris, cresceu na Bretanha (noroeste da França). E, após mais de três anos de convívio com gaúchos, diz que os considera "os bretões brasileiros". "São rebeldes, um pouco fechados. Eles fazem a junção entre a Europa perdida e o Brasil", brada, com sotaque cheio de maneirismos sulistas.

Ao perceber que a música francesa que tocava nas rádios locais estacionava em Edith Piaf e Charles Aznavour, Pottier montou uma banda em tributo a Gainsbourg, que angariou fãs, como Luciano. "Ele é nostálgico e traz uma sensação boa", diz o baterista. O próximo passo foi apresentar outros nomes do rock de sua terra aos músicos locais, o que acabou gerando o Les Responsables em 2006. Hoje, entre o compasso francês e o gaúcho, o grupo forja sua assinatura autoral e inspira euforia nestes trópicos.