Tá Rindo do Quê? - Parte 3

Preparamos questionários para Danilo Gentili (CQC), Fabiana Karla (Doutora Lorca, Zorra Total), Kiabbo (15 Minutos) e Eduardo Sterblicht (César Polvilho, Pânico na TV!)

Redação Publicado em 12/12/2008, às 15h13

Danilo Gentili, do <i>CQC</i>

Ver Galeria
(4 imagens)

DANILO GENTILI

Repórter do CQC diz: "A TV está deprimente"

Que piada sempre dá certo?

As piadas são como as mulheres: as mais fáceis geralmente são velhas ou feias. É muito velho zoar uma pessoa gorda, falar mal de celebridade ou usar o palavrão como muleta achando que isso garante o riso.

Qual o momento mais engraçado da TV brasileira?

Quando a criança ligou para o Bozo e mandou ele tomar no cu; ou quando a menina disse para o Silvio Santos enfiar o bambu no cu também. O Pânico ter soltado um balão em pleno SPTV ao vivo e ele aparecer na janela também foi muito rock'n'roll.

As coisas são mais engraçadas na vida ou na telinha?

A TV brasileira ultimamente está igualzinha à vida: deprimente. Mas, se você olhar ao redor, vai encontrar um ambiente habitado por pessoas repletas de estupidez e crueldade.

Algum apelido de que não goste?

Não tenho apelidos. Mas confesso que me divirto com os que o pessoal do CQC cria para mim. Morri de rir a primeira vez que ouvi o [Marcelo] Tas me chamando de Barnabé de Santo André! [risos]. Acho divertido!

Qual é a piada do ano?

Minha ex-namorada, que me deixou porque não botava fé no meu sucesso, reapareceu e disse que ainda gostava de mim. Parentes e amigos que estavam sumidos também voltaram. Essas piadas são divertidas, não?

Quem é o brasileiro mais engraçado de todos os tempos?

Oscarito. Mas acho que o [Ronald] Golias não fica muito atrás, ele tinha um humor anárquico, era sangue no zóio!

FABIANA KARLA

A Doutora Lorca não poupa magros com mente de gordo

Até onde você iria por uma piada?

Não sei contar piada. E isso não é uma piada [risos].

Qual a situação mais engraçada que você já passou ou presenciou na vida?

Tive que sair às pressas de uma gravação do Zorra Total (TV Globo) para ir ao aeroporto. Consegui chegar a tempo de pegar o vôo, mas, quando olhei para meus pés, tinha calçado sapatilhas de bailarina.

Minoria favorita para ser zoada?

Os magros com mente de gordo. Aqueles que morrem de medo de comer um doce só para ouvir: "Mas que exagero, você está ótimo!"

Qual a piada do ano?

O ano foi farto em piadas, da política ao sexo. No entanto, como diz Arlete Salles na pele da maravilhosa Copélia (do humorístico Toma Lá da Cá): "Prefiro não comentar!"

KIABBO

Felipe Ricotta usa codinome vegetal

Até onde você iria por uma piada?

Eu me transformei em dois por uma piada, acho que isso é bem grave.

Qual a situação mais engraçada que você já passou ou presenciou na vida?

Fazer mais sucesso como humorista [no 15 Minutos] do que como músico.

Que piada sempre dá certo?

Mentir para a imprensa.

As coisas são mais engraçadas na vida ou na telinha?

Só faço o engraçado na tela. Fora dela, acho um saco essa modinha que está rolando do humor. Mas tá acabando, tá acabando...

Tem algum apelido de que não goste?

Fico muito incomodado quando me chamam de gênio.

Minoria favorita para ser zoada?

Os jornalistas.

Qual a piada do ano?

O disco de estréia de Felipe Ricotta, chamado Você Não Entendeu Porra Nenhuma.

CÉSAR POLVILHO

Eduardo Sterblicht foi visto no espetáculo Deznecessarios e acabou como o César Polvilho, do Pânico

Qual o maior mico que você já pagou?

No meu aniversário de 12 anos, minha mãe resolveu organizar uma festa surpresa e pediu ajuda à coordenadora da escola para convidar meus colegas. Voltei para casa no final da tarde e, ao chegar, ouvi gritos de surpresa! A sala enfeitada, minha mãe com um vestido que gostava de usar e... Várias pessoas que nunca tinha visto na vida. Silêncio sepulcral. A coordenadora tinha confundido o Eduardo e chamou outra turma, mais velha. Mesmo assim, minha mãe continuava feliz, servindo guloseimas.

Até onde você iria por uma piada?

Até a Índia, talvez.

Qual a situação mais engraçada que já presenciou na vida?

Me contrataram para um evento em um shopping, ia ganhar cerca de R$ 30 para ser o duende do Papai Noel. O senhor que iria se travestir de velho avisou que não poderia ir, mas as crianças esperavam alucinadas. A produtora pôs em mim a vestimenta vermelha, enfiou um carpete amassado e sujo dentro da roupa, para que eu ficasse gordo. Nenhuma criança veio falar comigo. E não me deram lanche. Tinha lanche sempre para os atores.

Tem algum apelido de que não goste?

Bruno.

Qual a piada do ano?

Não sei. Mas acho que os comediantes deveriam agradecer ao Rubinho [Barrichello] por cinco anos de piada fácil.