Acústicos e Energizados

Com nova formação, Autoramas se reinventa com violões

Por Tiago Agostini Publicado em 09/02/2009, às 18h37

Em 1º de fevereiro, Gabriel Thomaz, líder do Autoramas, se reencontrou com os velhos amigos Zé Ovo e Bacalhau em São Paulo. O motivo: um show-reunião de sua primeira banda, Little Quail and the Mad Birds. A oportunidade, porém, foi única: "Aprendi muito com essa banda, mas não faz sentido voltar. Não tem mais a ver comigo", ele explica.

Já o Autoramas continua em ação. Em janeiro, a banda estreou um show acústico que deve rodar o país e ser lançado em CD e DVD (até o fechamento desta edição, a banda negociava com a MTV a produção de um especial do projeto). Mas Gabriel se apressa em evitar qualquer comparação com o formato tradicional de show desplugado: "É um acústico diferente", ressalta. "A gente não toca sentadinho. Tem a energia habitual do Autoramas." O repertório faz um apanhado da carreira da banda com covers, como "Minha Superstar", de Erasmo Carlos, e o maior sucesso já composto por Gabriel, "I Saw You Saying", originalmente gravada pelos Raimundos. "Nunca tinha feito show sem guitarra. Muda tudo, é outro jeito de tocar." O acústico representa também a estréia da banda com a baixista Flavia Cury, que substituiu Selma Vieira, que deixou a banda em 2008. Empolgado, o líder é só elogios à nova parceira. "Aumentou meu prazer em fazer música. O Autoramas cresceu muito. Sem a Flavia, o acústico não teria sido possível."