Pulse

Fred Schneider

Antes de retornar ao Brasil, líder do B-52s relembra antigas viagens

Por Paulo Cavalcanti Publicado em 08/04/2009, às 10h37

Tocar novamente no Brasil

"É ótimo passar pelo país de novo! Estivemos aí pela primeira vez em 1985, no Rock in Rio, e foi verdadeiramente uma ocasião histórica. Fizemos grandes amigos e, sempre que possível, voltamos. O B-52s é uma banda festeira, o Brasil é um país festeiro. Por isso existe essa sintonia. E tem a música, que é muito especial. Da última vez que passamos por aí, fui a vários sebos e lojas de antiguidade. Achei um relógio inglês fabricado nos anos 60 em ótimas condições. Estou com ele até hoje e funciona direitinho."

Funplex, o disco mais recente do B-52s

"Ele levou um bom tempo para sair, mas teve um motivo. Foi um disco que devotamos muito tempo e energia. Eu particularmente tenho muito orgulho dele. Acho que o potencial de Funplex ainda não se esgotou. Tanto que, em vez de começarmos um novo disco de estúdio, achamos válido chamar vários DJs para remixá-lo. Já estamos trabalhando nisso."

Você lê esta matéria na íntegra na edição 31, abril/2009