Em Busca do Peso Perdido

No rastro de NX Zero e Fresno, Gloria eleva a frequência do rock de FM

Por Leonardo Dias Pereira Publicado em 15/06/2009, às 16h03

Não é novidade que a internet é a principal vitrine para artistas que procuram um lugar melhor (ou mesmo um raio qualquer) ao sol da popularidade. Mas se há uma turma que sabe manipular com maestria todas as possibilidades que a rede mundial dispõe, essa seria a do emocore. Extremamente agilizados e antenados

com as novas plataformas de divulgação (redes de relacionamentos, blogs e fotologs), cada vez mais eles conseguem romper a barreira do underground. Depois do sucesso de grupos como NX Zero e Fresno, a bola da vez são os paulistanos do Gloria, grupo que, segundo eles, pratica metalcore - o rótulo é autoexplicativo, uma mistura de metal com hardcore.

O primeiro indicador de popularidade da banda veio no começo do ano passado, quando eles postaram a faixa "Anemia" para download no site Trama Virtual. A quantidade de acessos foi tão grande (2 mil em um intervalo de 15 minutos) que o servidor não suportou e saiu do ar. "Foi uma surpresa enorme para nós. Tanto que no fim do dia já estávamos em primeiro lugar. E, pelo que a gente sabe, ninguém alcançou esse feito", diz Mi, responsável pelos berros e vocais mais enérgicos no grupo - que conta ainda com Elliot (guitarra e vocais melódicos), Peres (guitarra), Fil (bateria) e Johnny (baixo).

Nessa época eles já tinham dois álbuns gravados por gravadoras independentes (O Fim É uma Certeza, 2005, e Nueva 2006) e diversos singles, disponibilizados gratuitamente na web, que, somados, atingiram a incrível marca de 2 milhões de downloads. A virada, no entanto, viria com o convite do Fresno para abrir os seus shows na turnê do álbum Redenção (2008). Na noite de lançamento, Rick Bonadio, o produtor dos gaúchos e também do NX Zero compareceu. "Quando os vi, percebi que uma banda pode ser pesada e melódica ao mesmo tempo. Com isso, vislumbrei a possibilidade de realizar um sonho que era ajudar uma banda pesada a chegar ao mainstream", diz Bonadio, que uma semana após esse encontro contratou a banda para seu selo, o Arsenal. O primeiro resultado dessa parceria é o recém-lançado Gloria, que traz várias participações da turma: Gee, do NX Zero (amigo de infância de Mi), Tavares, do Fresno, Rodrigo Koala, do Hateen, e Marlos Vinícius, parceiro da ex-Big Brother Brasil Josy Oliveira na banda Nueva. Em pouco mais de um mês o álbum praticamente esgotou a tiragem inicial de 5 mil cópias. Mas a banda teve que passar por um delicado processo de suavização de sua sonoridade, que, se não abalou as estruturas do seu metalcore, fez com que alguns fãs torcessem o nariz e saíssem propalando o desgastado discurso de que eles se venderam. "Realmente teve gente que veio com esse papo, mas foi uma minoria. Recebemos mais mensagens de apoio do que críticas", diz Mi, para logo emendar que esse amaciamento não teve nada a ver com o fato de trabalhar com Bonadio: "Essa era uma vontade que já vinha crescendo entre nós desde o último disco. Estávamos muito extremos, era muita gritaria e pouca melodia. E existe todo um problema de frequência sonora pra tocar nas rádios". Essa preocupação inclusive levou a banda a fazer versões distintas de algumas músicas para as rádios, como a primeira música de trabalho, "Minha Paz". As intenções nessa nova vida pós-independência não são nada modestas: "Queremos colocar o rock pesado de volta nas paradas. Como no tempo em que rolava Raimundos e Planet Hemp nas rádios".