MONDOMASSARI

<b>Por Fábio Massari</b> Publicado em 10/07/2009, às 17h42

Caballero Reynaldo - The Grand Kazoo - Unmatched Vol. X (Hall of Fame Records)

Vem da Espanha um dos mais curiosos e surpreendentes tributos discográficos já prestados a Frank Zappa. E não são poucos! Com a chancela da etiqueta valenciana Hall of Fame Records, chega o décimo volume da coleção Unmatched, dedicada exclusivamente à obra do "american composer". Mas não se trata de mais uma coletânea, eventualmente irregular, de dezenas de bandas fazendo sua versão desse ou daquele Zappa. Para celebrar o expressivo décimo lançamento, o capitão do selo e craque multiinstrumentista Luis Gonzalez cravou mais um título certeiro da sua banda, Caballero Reynaldo (ótimos registros "autorais" lançados pela HOF). The Grand Kazoo é, sim, um disco de Zappa revisitado, mas resulta absolutamente transcendente por causa da sintonia da banda com o material em questão e sua magnética e vibrante execução "conceitual". São 20 clássicos devidamente enquadrados numa caprichada e delirante moldura country. Há realmente algo de estranho no ar desse saloon, no corte loungeminimalista- psicodélico desse country e no acento marcado pela esquisitamente charmosa voz de Marieta Tamarit. Da marchinha quase sydbarretiana de "The Torture Never Stops" ao emocionante final com "Joe's Garage" em levada didática e com "gran solo de piano a quatro manos", uma viagem reveladora, com um Zappa como nunca ouvimos. Os "administradores" da obra de FZ costumam não gostar desse tipo de homenagem - como "mercado". Que seja, nesse caso dá para arriscar que The Grand Kazoo faria fácil a cabeça do mestre de Baltimore.

Evil Madness - Demoni Paradiso (12 Tonar)

Na Islândia dos bons sons, são comuns as brincadeiras sônicodiscográficas que dão certo mercadologicamente (coletânea "infantil" com ídolos da cena; a banda Bogomil Font, de ex-punks, roubando certa cena com música lounge de corte bossa-novista). A mais nova é de apelo cinematográfico e, apesar das graças conceituais, de resultados mais perigosos. No bom sentido. Demoni Paradiso é o segundo disco dos "Traveling Wilburys da Islândia" (embora os integrantes superstars pertençam às gerações digitais) e registra a exploração delirante de um certo universo de trilhas de cinema. Estranha jam eletrônica com elementos de Walter Carlos, John Carpenter, Tangerine Dream e Goblin.