Mais do (Quase) Mesmo

Ex-integrantes negam, mas tudo indica que o Legião Urbana está de volta para shows com novo vocalista

Por Alex Antunes Publicado em 09/11/2009, às 15h09

Dado Villa-Lobos em Brasília

Ver Galeria
(2 imagens)

Anunciada e desmentida ao longo do mês passado, a volta do Legião Urbana se concretizou no festival Porão do Rock, em Brasília, na noite do dia 20 de setembro, presenciada por cerca de 35 mil fãs. A questão semântica permanece, pois Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá afirmam que essa é uma "homenagem", e não uma "volta do Legião" - e até fizeram exibir um vídeo antes de subirem ao palco em Brasília em que, entre imagens históricas da banda e de Renato Russo desde 1985, o trio afirmava o compromisso de que não existiria a banda sem algum deles.

Em um show curto, cada uma das oito músicas foi cantada por um vocalista diferente. Mas fontes próximas à banda afirmam que os ensaios secretos no Rio, com Toni Platão cantando todo o repertório, vão de vento em popa - os desmentidos se destinariam a preservar os envolvidos de especulações antes que os acordos com a família de Russo e com a gravadora EMI (da qual o Legião é o terceiro maior vendedor mundial de discos) sejam concretizados. Juliano, o filho de Renato Russo, é o herdeiro detentor da maior fatia dos direitos do grupo e, se não é particularmente entusiasta dessa volta, também não a vetou.

Cautelosamente, Platão nem esteve na entrevista coletiva que o grupo deu após a apresentação. Mas já haveria seis ou sete shows sendo agendados para capitais do país, durante o próximo verão (número de apresentações que pode facilmente duplicar). O principal deles deve ser nas comemorações do aniversário de Brasília, em 21 de abril de 2010, que também teria um show de Paul McCartney. Nessa data, nove ou dez bandas dos anos 80 da cidade (incluindo Plebe Rude, Escola de Escândalo, Detrito Federal e Paralamas do Sucesso) se reunirão na homenagem aos 50 anos da cidade e (e também aos 50 de Renato Russo, a serem completados em 27 de março).

Um forte candidato a baixista do Legião é o uruguaio Mateo Moreno, com quem o guitarrista e Bonfá tocaram o repertório do grupo em um tributo em Montevidéu no ano passado (o que explica a presença de cinco músicos uruguaios no show de Brasília, incluindo Moreno e os cantores Juan Casanova e Sebástian Teysera). "Pra mim, ele é o cara do baixo", diz Dado. Por falar em baixista, a mística do Legião foi forte o sufi ciente para fazer PJ, do Jota Quest, faltar a um show de sua própria banda na Festa do Peão em Avaré (SP) para participar em uma música do Legião em Brasília. Mas a especulação mais curiosa é a da mesma fonte próxima à banda - sugerindo que seja aproveitada a presença do baixista Andy O'Rourke, do Smiths, que viajará para o Brasil no verão como DJ, para convidá-lo para a função. É inegável que músicas como "Tempo Perdido" soariam perfeitas com O'Rourke.