Montando a Árvore de Natal

Bob Dylan lança CD de Natal beneficente, com clássicos como “Winter Wonderland” e “Little Drummer Boy”

Por Andy Greene Publicado em 09/11/2009, às 15h11

GRAVADORA FELIZ - Disco de Natal de Dylan pode vender bem durante anos

Ver Galeria
(2 imagens)

No final da década de 1970, Bob Dylan chocou seus fãs quando se converteu ao cristianismo e lançou dois álbuns de rock'n'roll com temas gospel. Agora o cantor - que dizem ter regressado ao judaísmo - tem outra surpresa nas lojas: em 13 de outubro, ele lança Christmas in the Heart , uma coletânea de canções de Natal, incluindo "Winter Wonderland", "Here Comes Santa Claus", "Little Drummer Boy" e "Must Be Santa". Dylan gravou a compilação no começo do ano com a banda que o acompanha nos shows, músicos de estúdio e um grupo de backing vocals. (O próprio artista fez a produção, sob seu pseudônimo habitual, Jack Frost.) "Fazia décadas que a Columbia pedia um álbum de Natal", diz uma fonte próxima a Dylan. "São canções que vendem sempre, e é isso que toda gravadora quer."

O lançamento será também a primeira gravação de Dylan para a caridade; todos os royalties norte-americanos serão doados à Feeding America, que apoia uma rede de instituições voltadas à alimentação dos mais necessitados. A ONG ficou tão surpresa com a história quanto os fãs de Dylan. Há apenas dois meses, a entidade contatou Dylan para saber se o artista emprestaria seu nome à causa. Em vez disso, o produtor de Dylan voou até o QG da instituição em Chicago, acompanhado de dois executivos da Columbia, com a inesperada oferta de um álbum de caridade. "É um sonho virando realidade", diz a chefe da Feeding America, Vicki Escarra. "O Dylan consegue mostrar a todos que entre 35 e 38 milhões de norte-americanos estão à beira da fome. Isso é um ultraje."

Outra notícia acerca de Dylan é o retorno do virtuoso guitarrista de blues texano Charlie Sexton à banda, em 5 de outubro, em Seattle, quando Dylan põe o pé na estrada novamente. A estadia de Sexton na banda - de 1999 a 2002 - é considerada um dos melhores períodos da carreira de Dylan. "Amo o Bob e estou contente por voltar a dividir o palco com meu amigo", diz Sexton. A fonte próxima a Dylan acrescenta: "Há muitos tipos de anos dourados, mas o Charlie foi além. Eu vi o último show que eles fizeram juntos, em 2002, e foi de cair o queixo".