N°17 - O Mundo É um Moinho

Por Marcos Lauro Publicado em 18/12/2009, às 21h01

Cartola e a singeleza do samba
DIVULGAÇÃO

Cartola

© Cartola

Se o termo "samba triste" fosse um gênero musical, essa faixa, presente no segundo LP de Cartola, de 1976, talvez pudesse ser a sua maior representante. Com o ainda jovem Guinga ao violão, Cartola tenta dissuadir sua amada da ideia de ir embora. Tenta avisar também que "O Mundo É um Moinho" e este mundo vai reduzir seus sonhos e ilusões a pó na primeira oportunidade. Tenta abrir os olhos da jovem, que mal começou a conhecer a vida, dizendo que nada é fácil para ninguém. Cartola afirma que a moça em questão nem sabe o rumo que vai tomar. Mas perdido, mesmo, está ele. Perdido, triste, melancólico e ciente do fim. E ciente também de que nem um samba triste vai amolecer aquele coração feminino de pedra, tão resolvido. Mesmo assim, o poeta tenta. E nossos ouvidos, 33 anos depois, agradecem.