Menos Azedo

Lemonheads quer voltar ao país para recompensar o público brasileiro

Por Paulo Cavalcanti Publicado em 10/12/2009, às 15h57

NA BOA - Evan Dando, agora longe dos tempos ruins
DIVULGAÇÃO

Por um bom tempo, Evan Dando foi considerado um dos "garotos enxaquecas" do rock dos anos 90. Mas a passagem do tempo e a vida fora do mainstream parecem ter domado um pouco o líder do Lemonheads. Há poucos meses, o grupo lançou o álbum Varshons, que traz somente covers.

O CD sai agora por aqui, pelo selo Lab344, e Dando aproveita a chance para tentar fazer as pazes com o público brasileiro - e eliminar a má impressão causada pela passagem do Lemonheads em 2004, quando a banda realizou shows considerados abaixo da média, chegando a ser vaiada em São Paulo. "Eu estava com um problema na garganta. Foi um período ruim da minha vida pessoal, peço desculpas pelos shows ruins. Gostaria muito de voltar."

Por enquanto, Dando e seus companheiros se preparam para ir à Europa e mostrar as músicas de Varshons. Quando questionado sobre uma possível falta de inspiração para o repertório de versões, Dando prefere defender outra tese. "Eu sempre gostei de covers. Já tinha sido convidado para fazer algo assim, mas tinha de ser algo fora do esquema. O Gibby Haines [vocalista do grupo Butthole Surfers] produziu e me deu toda a liberdade, além de ter sugerido várias músicas. Estávamos no estúdio passando o som e as canções estranhas do passado foram surgindo uma atrás da outra." Quando fala de "canções estranhas", ele se refere a canções do punk autodestrutivo GG Allin, do pai do alt country Gram Parsons e do grupo psicodélico Sam Gopal, do qual fez parte Lemmy Kilmister (do Motörhead). O clima de descontração no estúdio foi tão grande que o músico até pôde chamar as beldades Liv Tyler e Kate Moss para ajudar nos vocais de apoio.