A Máquina de Hits na TV

Glee é uma comédia musical que se deu bem fazendo versões divertidas de Journey e Queen

Por Nicole Frehsée Publicado em 22/02/2010, às 09h21

O elenco de Glee, em uma cena musical da série
CARIN BAER/FOX

Quando os idealizadores do seriado Glee, do canal pago Fox (quintas, às 22h), se juntaram para apresentar o piloto da comédia musical adolescente, eles convidaram um conselheiro especial: o ex-cantor do Journey, Steve Perry. "Todos nós estávamos roendo as unhas", diz o diretor musical do programa, Adam Anders, que transforma canções clássicas e músicas pop - inclusive "Don't Stop Believin'" - em versões tipo Broadway. "Ele ficou lá sentado, quieto, e quando a música acabou ele disse: 'Posso conhecer quem produziu isso? É muito bom'."

Perry não é o único fã: horas depois do piloto de Glee ir ao ar nos Estados Unidos, em 19 de maio, a cover do Journey chegou ao número 1 da lista de vendas do iTunes. Até hoje, vendeu mais de 500 mil cópias digitais. A canção é apenas um dos sucessos alavancados pelo programa: releituras de "Take a Bow" (Rihanna), "Sweet Caroline" (Neil Diamond), e "Somebody to Love" (Queen) foram todas parar no Top 10 da mesma loja virtual, com mais de 2,5 milhões de singles da série baixados. "Não pensávamos que a música fosse ser assim tão poderosa", diz Rob Stringer, presidente da Epic/Columbia, a gravadora de Glee. "É difícil vender música hoje, mas isso prova que, se você estiver no horário nobre da TV, consegue entrar na casa das pessoas e deixá-las contentes."

Em novembro, Glee: The Music, Volume 1 - um conjunto de 17 músicas que inclui uma versão acompanhada de coral de "Gold Digger", de Kanye West, e uma com levada jazz de "Dancing with Myself", de Billy Idol - estreou em quarto lugar na parada norte-americana. "Nós achamos que vai ser um presente de peso pro Natal deste ano", diz Drew Herdener, da Amazon. Outros volumes serão lançados aos poucos. "As pessoas adoram interpretações diferentes", diz Stringer, que também viabilizou o acordo dos oito atores do programa com a gravadora. "Além do mais, nós usamos grandes músicas, que aguentam bem essa transformação."

O criador de Glee, Ryan Murphy, dirige a seleção de canções. "É um processo muito orgânico", diz Anders. "Nós mandamos ideias pra lá e pra cá." Até agora, só um artista disse não ao programa: Bryan Adams, cuja "(Everything I Do) I Do It for You" Anders queria para uma cena romântica. E as canções originais também se beneficiaram: houve um aumento sensível de vendas, chamando a atenção de artistas como Cyndi Lauper e Gavin DeGraw. "Oprodutor do Billy Joel me ligou e disse: 'o Billy quer as músicas dele em Glee - você precisa ajudá-lo'", diz Anders, que está preparando uma série de episódios só com faixas de Madonna para 2010. "Eu disse: 'Bacana. Vou ver o que posso fazer'."