M.I.A. Busca Mais Melodia

Mãe e “mais humana”, cantora cingalesa quer agora criar um novo gênero musical

Por Brian Hiatt Publicado em 18/03/2010, às 04h59

M.I.A. colocou até funcionários de empresa de telefonia para cantar
TIM MOSENFELDER/CORBIS/LATINSTOCK

Para seu álbum mais recente, Kala (2007), M.I.A. rodou o mundo todo, gravando percussionistas indianos de rua - mas para seu terceiro álbum, a ser lançado no meio do ano, a MC preferiu ficar tranquila em um estúdio em Los Angeles. A artista de 34 anos, que ficou noiva e teve um bebê nos últimos anos, promete músicas mais pessoais. "Me sinto bem mais melodiosa e mais honesta do que era", declara. "A ideia é ser o mais humana possível."

Desta vez o produtor principal é Blaqstarr (que trabalhou em algumas faixas de Kala, incluindo a pulsante "World Town"), com a ajuda dos colaboradores de "Paper Planes", Diploe Switch. Diplo descreve as sessões como "trabalhosas": "O público espera muito dela". Blaqstarr complementa e vai mais longe: "Quero que este álbum soe diferente de tudo que já foi ouvido. Vai ser o primeiro de seu gênero - uma pós-experiência, à frente de todo o resto".

O álbum deve incluir músicas como "I Fight the Ones That Fight Me", que M.I.A. descreve como "dançante e meio estranha" e "I'm Down Like Your Internet Connection" (já disponível na internet). O refrão dessa última surgiu enquanto M.I.A. estava ao telefone com o serviço de atendimento ao consumidor de seu provedor de internet. "Consegui que os funcionários da [empresa de telefonia] Verizon filipina cantassem na minha música sobre internet."