De Olhos Abertos

Em novo trabalho, Melhor Assim, Teresa Cristina mostra que não é mais só uma sambista tímida

Por Christina Fuscaldo Publicado em 11/05/2010, às 05h32

MUDADA Teresa escuta as histórias de Caetano Veloso
Washington Possato

Esqueça aquela Teresa Cristina tímida, que cantava de olhos fechados e só tinha clássicos do samba em seu repertório. Em seu segundo DVD (e terceiro CD), a cantora carioca está soltinha, de olhos bem abertos para os novos rumos que sua carreira vem tomando, e muito à vontade interpretando outros ritmos. Melhor Assim mostra Teresa indo muito além do rótulo de sambista, que ganhou quando estreou com um disco em homenagem a Paulinho da Viola. O homenageado continua presente no set list, com "Cantando", mas Caetano Veloso e Adriana Calcanhotto também estão entre os escolhidos. Interpretada a capela, a faixa de abertura, "A Voz de Uma Pessoa Vitoriosa", foi resgatada do baú de Maria Bethânia.

"Quando comecei a cantar, as pessoas começaram a me chamar de sambista. Foi uma honra", diz Teresa Cristina. "Só que esse título deve ser dado a pessoas que têm uma história dedicada a uma escola de samba, como Dona Ivone Lara, Monarco.... Eu ouvi de tudo: Gal Costa, Donna Summer e Iron Maiden. Na faculdade de Letras, fazendo um trabalho sobre Candeia, me aproximei da Velha Guarda da Portela e essas pessoas me colocaram no samba. Adoro, mas é uma cartilha que não é minha."

Mas as diferenças vão além do repertório. Sempre acompanhada pelo Grupo Semente, Teresa Cristina agora tem uma banda completa, com os "meninos" dividindo o palco com sopros, backing vocals e mais percussionistas. Em Melhor Assim, a cantora assume também a faceta compositora, que começou a aparecer timidamente em seu último trabalho, o CD/DVD Delicada. Teresa assina dez canções, três delas em parceria com Edu Krieger ("Guardo em Mim"), Lula Queiroga ("Trégua Suspensa") e ArlindoCruz ("Morada Divina"). "Estou compondo mais, sem perceber. Eu achava que era preciso estar em casa, sozinha, para conseguir escrever algo. Depois que tive a Lorena, vi que depende de mim mesma", explica a cantora.

Lorena é a primeira filha de Teresa Cristina, que tem pouco mais de 1 ano e outra façanha em seu breve currículo: a de ter unido Teresa e a mãe, Dona Hilda, em um belo dueto. Sucesso de Ângela Maria, "Orgulho" era trilha sonora na casa da família quando a cantora era pequena: "Minha mãe sempre quis ser cantora e percebi que estou realizando o sonho dela. Em alguns shows meus, ela dá canja. Se tantos nomes foram influência para mim, posso dizer que minha mãe tem o mesmo peso que essa turma toda. A maternidade me ajudou a enxergar isso. Minha mãe me ajuda a botar minha carreira para a frente".

Além de Dona Hilda, estão nos extras do DVD Caetano Veloso, cantando a sua "Festa Imodesta", Lenine ("Trégua Suspensa") e Arlindo Cruz ("Coisas Banais"). Marisa Monte e Seu Jorge conversam com Teresa nesse mesmo ambiente de estúdio. No show, os dois dividem o palco com a anfitriã: com o apoio do violão de Pedro Baby, a diva interpreta "Beijo Sem", de Adriana Calcanhotto; ele solta o vozeirão em "Pura Semente".