Johnny Alf 1929-2010

Pianista e cantor, o discreto pioneiro que ajudou a dar formato à bossa nova

Por P. C Publicado em 11/05/2010, às 02h35

PRIMÓRDIOS Alf no início, na metade dos anos 50
Arquivo / FolhaPress

O músico, que se chamava Alfredo José da Silva, nasceu no Rio de Janeiro, em 19 de maio de 1929. Ele começou a cantar e tocar piano logo cedo, interessando- se por jazz e Standards da canção norte-americana. Quando foi cantar nas rádios cariocas, trocou seu nome para Johnny Alf. Por meio de Dick Farney, conseguiu um emprego como pianista e conheceu gente que ajudou a impulsionar sua carreira, como a cantora Mary Gonçalves, a primeira a gravar suas composições. Aos poucos, Alf aprimorou seu estilo e, na metade dos anos 50, lançou "Rapaz de Bem", que abrigava vários ingredientes rítmicos e melódicos do que viria a ser a bossa nova. Alf deixou o Rio e foi para São Paulo. Retornou ao Rio nos anos 60, mas sua carreira tinha estagnado. Em 1967, a cantora Marcia interpretou "Eu e a Brisa", de Alf, nas eliminatórias do III Festival da Música Popular Brasileira. A música não foi escolhida, mas, ironicamente, tornou-se um grande sucesso, fazendo o público voltar a se interessar pelo trabalho de Alf. Discreto e tímido, ele passou as décadas seguintes se apresentando e gravando esporadicamente, sempre saudado como um dos pioneiros da bossa nova.