Pulse

RÁPIDAS COM...Dean Deleo

O guitarrista do Stone Temple Pilots fala sobre o retorno da banda

Por Pablo Miyazawa Publicado em 18/05/2010, às 15h16

DIVULGAÇÃO

O show no SXSW, em Austin

"Naquela noite, a festa era de vocês, não nossa. É algo bem evidente quando a energia está sendo transmitida para lá e para cá. E estávamos cercados por energia. Ao estar em um lugar cheio como aquele, senti que havia vida. Foi lindo. Poder tocar com o Robby Krieger [guitarrista do The Doors] trouxe um outro elemento de emoção."

O novo álbum

"A pressão que colocamos está em nós mesmos. Por tudo o que passamos dentro do estúdio, o que vem de fora é algo irrelevante, praticamente inexistente. É como se não déssemos a mínima para o que as pessoas irão pensar. Acima de tudo, se a gente estiver feliz e confortável com o disco, é isso o que importa."

A relação com o irmão

"Ele é um dos mais extraordinários baixistas do planeta. O baixo do Robert DeLeo é o melhor, cara. Quando estamos falando a língua da música, conseguimos facilmente finalizar a frase um do outro."

Tocar com Scott Weiland

"Ele está ótimo. Só posso falar em meu nome, mas acho que os outros também concordam. Ficamos fora do ar por sete anos, e voltar com um novo disco e sentir essa emoção novamente... É parecido com o que sentimos quando gravamos nosso primeiro disco."

As idas e vindas do STP

"Nós precisamos de um tempo separados uns dos outros. Convivemos direto durante dez anos, nos shows, viagens, camarins... Não quero que isso soe hipócrita, mas essa é apenas uma pequena parte de minha vida. Hoje temos filhos, esposas, pais e mães, que estão envelhecendo. Há tanto mais na vida do que apenas essa pequena banda da qual fazemos parte. A gente não desvaloriza nada disso, mas não ficamos só vivendo em função do STP."