10 PERGUNTAS

Sertanejo Pop Rock: Luan Santana fala sobre a carreira e como lidar com boatos maldosos

Por Cirilo Dias Publicado em 09/08/2010, às 16h59

DECIDIDO Luan Santana diz saber o que quer da carreira
Divulgação

Aos 19 anos, Luan Santana já viaja pelo Brasil para dar conta de uma agenda que tem, em média, sete shows por semana. Apresentando seu pop sertanejo para multidões adolescentes, ele diz dar "graças a Deus pelo meu trabalho, que foi aceito por todo o Brasil". "Cada show é uma emoção diferente", explica o adolescente, que já ostenta a alcunha de fenômeno pop.

Como está sendo lidar com a fama assim tão cedo?

Procuro não pensar nisso, nem nesses títulos que estão dando. Quero fazer o meu trabalho benfeito, estou muito focado em minha carreira. Batalhei para chegar aonde estou e quero sempre fazer o melhor.

Apesar de rotularem sua música como sertanejo universitário, dá para perceber muitas influências de pop e rock. Quais artistas você gosta de ouvir?

Eu sou um cantor sertanejo e atinjo também o público do pop rock, mas não sou sertanejo universitário - nem faculdade eu fiz. Ouço alguns artistas como Taylor Swift, McFly...

Por que você faz questão de afirmar que está solteiro? Medo de magoar as fãs?

Na verdade, hoje não conseguiria namorar, pois meu foco é minha carreira. Faço, em média, 25 shows por mês, tenho muitos compromissos em TVs, rádios e revistas. O dia que eu resolver namorar, as minhas fãs serão as primeiras a saber. Sei que elas vão me apoiar.

Com essa agenda lotada, você não tem receio de ficar sem tempo para ensaiar e acabar prejudicando os shows?

O show é um ensaio diário e o que estamos apresentando nele é o que rolou na gravação do DVD Ao Vivo. Claro que incluímos algumas músicas, mas mudaremos a turnê no fim do ano. Aí teremos que encontrar tempo para ensaiar o novo show.

Você vem sendo alvo de boatos sobre a sua sexualidade. Como você lida com isso?

Com a maior naturalidade. Sei que sou homem e, diga-se de passagem, adoro mulher. Acontece com todo mundo que tem uma exposição grande.

E os seus estudos?

Terminei o ensino médio e não deu para prestar vestibular porque já estava difícil fazer shows enquanto eu estudava. Se um dia eu fizer faculdade, pretendo cursar biologia por causa da minha ligação com Mato Grosso do Sul, onde nasci.

Qual é o seu maior ídolo?

Zezé Di Camargo e Luciano, desde criança. A primeira música que comecei a cantar foi "Muda de Vida".

É verdade que você possui hoje o maior cachê do país?

Isso eu não sei, pois não sei o cachê dos outros artistas [risos].

Quais são os seus planos futuros?

Tenho muitos projetos em andamento, um deles é a carreira internacional, que deve ganhar maior proporção no segundo semestre. Agora estou focado em conquistar mais o nosso país.

Você é considerado um fenômeno pop. Você acha que isso tem mais a ver com talento ou não existe uma explicação para o que está acontecendo com você?

Graças a Deus meu trabalho foi aceito por todo o Brasil. Cada show tem uma emoção diferente. Faço música para o público de todas as idades. Mas mais gratificante é sentir o carinho das crianças. O que está acontecendo comigo só tem uma explicação: Deus.