Pulse

Anima, DJ!

Cartoon Network produz desenho em stop motion sobre batalhas de DJs

André Maleronka Publicado em 01/02/2007, às 00h00 - Atualizado em 31/08/2007, às 19h17

O multimídia Thaíde, em versão massinha
Divulgação

A técnica e a emoção das disputadas competições de DJs ganham versão animada na TV brasileira. A Guerra do Vinil, projeto nacional de animação stop-motion que estréia em março no canal a cabo Cartoon Network conta com as participações dos DJs Cia e King - além do multimídia Thaíde - e demorou quatro anos para ficar pronta. "Montamos o estúdio porque havia um buraco no mercado nacional. Tudo aqui é americano ou japonês", conta Daniel Greco, produtor, roteirista e um dos sócios do estúdio Terpins Greco. "O Lucas [Emanuel, animador] e o César [Dufolk, diretor] apareceram com uma animação de 10 segundos que mostrava um DJ tocando. Foi um ano e meio desenvolvendo o projeto. A idéia era fazer um curta para TV. Mas curta é o pior formato pra captar dinheiro porque é exibido só em festivais", diz. "Em agências, ouvimos coisas do tipo: 'por que personagens de cor?' e 'temos clientes que vetam filmes quando tem um negro na propaganda'", lamenta o sócio e diretor Rafael Terpins.

Confira o making of da criação do cenário.

DJ Cia representa o DJ Air na animação.

DJ King prepara os scratchs do personagem Black Jamantha.

Luís Miranda dubla o velhinho Seu Niculapo.

O interesse do Cartoon Network surgiu antes do início das filmagens, ainda sem a captação de recursos. O curta foi transformado em quatro episódios de cinco minutos, que serão transmitidos no Adult Swim, a faixa adulta da emissora. "Nosso desenho não tem o humor cruel do Adult Swim e não tem violência, drogas, nem polícia", diz Terpins. A ação de A Guerra do Vinil acontece em uma maquete com 285 barracos, baseada na favela Cangaíba, na Penha (zona leste de São Paulo). O visual é detalhado e o roteiro mescla realidade e fantasia. "O único personagem real é o Thaíde. Nós o convidamos antes de ele ser chamado para a Mega Liga, da MTV. Convidamos também o Antônia", conta Greco, que vê um futuro promissor para sua animação. "Temos quase 30 personagens prontos para serem desdobrados. Vamos partir para uma série de 13 episódios de 23 minutos cada um ou para um longa. Acertamos também uma exposição dos personagens e cenários. E queremos lançar um livro, já que inventamos nosso método e quase não há bibliografia sobre stop-motion em português", comemora.