VIDAPOP - O Ano em Que Fizemos Contato

Por Miguel Sokol Publicado em 11/05/2011, às 16h15

LADY GAGA Arrepiando o mundo pop
DIVULGAÇÃO/LOLLAPALLOZA/DAVE MEAD

Estava eu de férias à beira de uma piscina de borda infinita, tomando um drink (com sal na borda da taça), pensando no fracasso que foi a invenção da pizza com borda recheada, quando Bubba, meu fiel escudeiro, trouxe em uma bandeja de prata meu exemplar da Rolling Stone de janeiro. Neste preciso momento, decidi abordar o assunto aqui: a retrospectiva do ano passado. Pois nós todos estamos a bordo de uma viagem sem eira nem beira para o final dos tempos.

O cineasta Peter Hyams estava certo, como profetizado por ele há duas décadas e meia: 2010 foi mesmo o ano em que fizemos contato - com a descarada mediocridade musical. Para começar, a coisa mais interessante que a música produziu em 2010 foi... Literatura. Desconsiderando a autobiografia do Justin Bieber (que surpreende só pelo fato de ele já saber escrever), grandes nomes como Patti Smith, Keith Richards e Lobão se ocuparam com as letras, deixando a consagração musical para Lady Gaga (no cenário internacional) e Restart e Luan Santana (no nacional).

Este último, como bom Meteoro Sertanejo, em 2011 deve cumprir seu destino e cair - rápida e vertiginosamente. Já o Restart, se não é meteoro, mas também é astro, pode ser um cometa. Como o Halley, que cruza o nosso céu em um abençoado intervalo de 76 anos! Saber que o próximo Restart apareceria daqui uns 75 anos e 7 meses seria um consolo.

Agora a Lady Gaga: ela usa vestido de carne. Puxa vida! Ela foge da cadeia com a Beyoncé. Minha nossa! Ela luta pelos direitos dos militares homossexuais. Que coragem! Tudo isso faz dela uma estrela sem que ninguém precise falar da sua música, até porque não há o que dizer. Gaga poderia revolucionar o mercado em 2011 inventando o disco sem música, já que tudo o que ela precisa nele é a capa.

Mas nada disso importa diante da quantidade de shows que passaram pelo Brasil em 2010 e continuarão passando neste ano, não é mesmo? Olha só: já tem Iron Maiden anunciado, Metallica, Red Hot Chili Peppers, Coldplay - todos pela oitava ou nona vez no país. Até os Backstreet Boys estão a caminho. E com o mesmo backstreet bêbado, A.J., que segue entrando e saindo de clínicas de reabilitação desde 2001, sem conseguir ser nem notícia mais. Chocado?

Pois a mim não choca. Depois que todo o 2º escalão grunge voltou para caçar níquel em 2010, chegou a vez das boybands. New Kids On The Block e Take That já voltaram e não me surpreenderia em nada se voltassem também o Polegar, o Dominó e o Trem da Alegria, porque 2011 está situado exatamente entre o ano em que fizemos contato e 2012, o ano da profecia maia, o do fim.