RÁPIDAS COM... João Barone

Baterista do Paralamas fala sobre passado, presente e futuro

Por Stella Rodrigues Publicado em 17/05/2011, às 10h24

João Barone
MAURICIO VALLADARES/DIVULGAÇÃO

Multishow ao Vivo Paralamas Brasil Afora

"A gente conseguiu fazer um registro da turnê já mais no final dela, ao contrário de todo mundo, que grava o DVD logo no começo. Ficamos surpresos com a repercussão dela e do disco Brasil Afora. Tinha virado uma meta nossa fazer um registro desse show tão bem falado e foi em uma hora boa, no fim de 2010, quando ele já estava nos trilhos."

Zé Ramalho e Pitty

"Chamamos o Zé para cantar essa música, 'Mormaço', no disco e tivemos a sorte de ter essa nobre presença durante o registro. Ele entra na hora em que fazemos um bloco mais acústico. A Pitty cantou com a gente no ano passado, no Ceará Music, escolheu uma música do nosso repertório chamada 'Tendo a Lua', de que ela gosta muito, e incluímos esse diferencial na gravação."

Passado vs. Presente

"É sempre um desafio fazer um repertório para show no qual se misturem suas músicas conhecidas com o material recente. É até uma ambição artística conseguir mostrar a produção nova. A gente tenta conviver com tranqüilidade com essa condição de tocar algumas faixas referenciais, como 'Meu Erro', 'Alagados', 'Uma Brasileira' e 'Lourinha Bombril'. É impossível abrir mão desses momentos de interação com a plateia."

Novo disco

"Estamos tirando o pé do acelerador com os shows para começar a preparar um inédito. Temos um saldo de material não usado no Brasil Afora e um monte de composições do Herbert [Vianna], só precisamos de tempo para maturá-las, trabalhar nas canções. A gente respeita esse ciclo, deixamos as músicas eclodirem. Quando nos damos conta, temos um conjunto delas e dá para lançar um álbum."