Nova fase, novo som

Joss Stone cria seu próprio selo musical e marca atual período da carreira com disco influenciado pelo rock

Por Patrícia Colombo Publicado em 03/08/2011, às 15h00 - Atualizado em 22/08/2011, às 15h57

Joss Stone foi influenciada pelo rock no disco LP 1
Divulgação

Joss Stone tem 24 anos e soma no currículo: cinco álbuns de estúdio, diversos prêmios musicais, milhões de fãs ao redor do globo, uma banda com Mick Jagger, uma fortuna avaliada em mais de R$ 23 milhões e, agora, seu próprio selo. O quinto disco da sorridente cantora, LP1, lançado pelo Stone'd Records (batizado, claro, em homenagem a sua dona), chega às lojas do Brasil nesta semana, trazendo uma versão mais roqueira de Joss.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil - na íntegra e gratuitamente!

A cantora falou à Rolling Stone Brasil no mês de junho, três dias após a polícia britânica prender dois homens com suspeita de planos para roubá-la e assassiná-la. Os dois foram detidos próximos à residência de Joss, em Cullompton, sudoeste da Inglaterra. Eles carregavam espadas, uma corda e também tinham um saco para o transporte de um corpo - além de mapas detalhados e fotos aéreas da propriedade da artista (leia aqui sobre o caso).

Na ocasião da entrevista, por telefone, perguntas sobre o ocorrido foram proibidas pela assessoria da cantora - Joss acabou comentando o caso tempos depois no programa norte-americano Entertainment Tonight, dizendo que o ocorrido "acabou entrando para sua lista de histórias" e que "tornou sua vida mais interessante". Mesmo com o caso, a britânica aparentava estar bastante tranquila e se mostrou, como de costume, simpática durante a conversa com a nossa reportagem, falando com empolgação sobre o trabalho inédito que marca uma nova fase de sua carreira, longe da major EMI.

LP1

LP1 foi gravado rapidamente, em seis dias, em um estúdio localizado em Nashville, no Tennessee (Estados Unidos). Os trabalhos começaram em fevereiro deste ano, com a produção de Dave Stewart (cofundador do Eurythmics), que Joss caracteriza como "brilhante" (ela também o auxiliou na produção, além de compor as canções). Sobre a rapidez da gravação, a cantora comentou ser um tipo de método. "Gosto de gravar rápido porque assim não fico obcecada com o álbum. Fica mais natural justamente por não haver tempo para deixar as coisas perfeitas, e eu, de certa forma, acho isso muito bom", explica.

O álbum ainda traz a alma soul da artista, mas chega ao mercado com forte influência rock. Joss conta que o responsável por este lado inédito de sua música é Stewart (que também integra, junto a Mick Jagger e Damian Marley, sua nova banda, o SuperHeavy). "Foi ele quem trouxe essa grande influência de rock neste álbum", diz. Entre as faixas que seguem o gênero, estão "Newborn", "Karna", "Don't Start Lying to me Now" e "Somehow". Sobre a mudança, Joss sabe que alguns fãs podem estranhar. "Mas não importa porque eu tenho muito mais música a caminho", antecipa.

Esse "mais música a caminho", aliás, está intimamente ligado ao atual momento da artista, florescido após o rompimento com a gravadora EMI e criação de seu selo, o Stone'd Records. "Hoje tenho a liberdade de poder decidir o meu destino e o que fazer com a minha vida. E acho isso bastante maravilhoso", afirma. Joss revela que, mesmo com o lançamento de LP1 neste final de julho, pretende retornar ao estúdio em breve visando a elaboração de outro disco - para o qual existem ainda apenas ideias e um possível mês de lançamento: janeiro de 2012.

Antes dele, ela seguirá com a divulgação de LP1. Ela, que veio ao Brasil para o festival SWU em outubro do ano passado (clique aqui para saber como foi o show), retorna ao país como parte do line-up do Rock in Rio, no dia 29 de setembro, com ingressos esgotados. "É o melhor lugar do mundo para se apresentar", diz a cantora sobre o país.