Vida em Favor da Composição

Cantor, compositor e multi-instrumentista, Fabio Góes faz da composição o tema central de sua vida

Leonardo Dias Pereira Publicado em 08/09/2011, às 11h24 - Atualizado em 19/09/2011, às 15h05

ANSIOSO A composição é parte intensa da vida de Fabio Góes
DEBBY GRAM/DIVULGAÇÃO

Algo parece incomodar Fabio Góes quando toma o seu lugar na mesa de um café situado dentro de uma grande livraria. “Estava compondo uma música hoje à tarde e não vejo a hora de voltar pra casa e finalizá-la”, revela. “Está ficando muito linda, até arrepia de lembrar.” A composição extrapola o fato de ser um dom, sendo praticamente um ofício que exercita diariamente em trilhas para filmes e publicidade, em que teve a oportunidade de trabalhar com figuras notáveis como o “trilheiro” Antonio Pinto (Cidade de Deus e Abril Despedaçado).

Em 2007, o paulistano saiu desse ambiente hermético para lançar Sol no Escuro, álbum que chegou a figurar na lista da Rolling Stone dos melhores daquele ano, e a faixa “Sem Mentira” embalou as desventuras da série Alice (HBO). O uso marcante do piano e sua voz triste e etérea lhe renderam comparações ao estilo de Guilherme Arantes. “Acho o Guilherme mais puro, quase bonzinho”, brinca Góes. “Comparado a ele sou mais turbulento, com mais sangue, quase sujo.”

Neste ano, Góes lançou O Destino Vestido de Noiva, que marca uma guinada para uma sonoridade mais pop. “A dificuldade do som do anterior me fez pensar em arranjos menos complexos para este disco, facilitando a execução ao vivo das músicas.” Ele também inaugurou um estúdio em sociedade com o guitarrista André Caccia Bava, depois de passar quase 12 anos trabalhando como contratado. “É tipo um arquiteto que trabalha no escritório do Niemeyer. O cara vai executar as ideias do chefe, e não as dele. Então abrir o estúdio é quase que um movimento de luz. Vai ser o meu ateliê”, diz.