Pulse

Efeito Dominó

Filme explica crise hídrica como decorrência do desmatamento

Lucas Brêda Publicado em 19/03/2015, às 12h18 - Atualizado em 24/03/2015, às 11h15

Vilões
Documentário joga luz sobre as consequências do desmatamento.
Reprodução

Os problemas de falta de água em São Paulo foram o gancho de que o cineasta André D’Elia precisava para finalizar o documentário A Lei da Água, que retrata os problemas do desmatamento e as falhas no Novo Código Florestal. “O grande culpado da crise é uma degradação histórica no estado de São Paulo”, afirma o diretor. “Mas há uma degradação histórica no Brasil. E o Código Florestal – lei que representa um retrocesso às áreas de água – vai na contramão do que precisa ser feito para termos uma captação de água saudável.”

O longa, produzido por Fernando Meirelles – exibido por meio de financiamentos coletivos e para escolas e universidades – é didático em suas cenas e explica, com entrevistas com biólogos e políticos, como a nova lei promove uma anistia aos proprietários que desmataram áreas de nascentes e matas ciliares até 2008. “Com a nossa pesquisa, percebemos que tudo o que era falado de legislação ambiental federal estava relacionado à água. Essa não é só uma lei rural ou florestal, ela regulamenta o quanto de água nós teremos e se essa água é

boa ou não.”