Pulse

Sempre Desbocado

O músico fala sobre o novo álbum, encher a cara com Bono e odiar o pop atual

Simon Vozick-Levinson | Tradução: Ana Ban Publicado em 28/05/2015, às 15h52 - Atualizado em 01/06/2015, às 13h38

O músico Noel Gallagher
AP/Alexandre Meneghini

“Nem ótimo nem ruim, é só mais uma porra de um dia qualquer”, Noel Gallagher diz com um suspiro de tédio. O compositor famoso pela língua azeda estava no intervalo do ensaio da turnê de Chasing Yesterday, o segundo álbum do Noel Gallagher’s High Flying Birds, projeto solo que começou depois da separação do Oasis, em 2009. “Passei 20 anos em uma banda, fazendo discos coletivamente”, relembra ele. “O caralho que vou fazer isso agora. Aliás, acho que o melhor do Oasis foi quando só eu estava no comando.”

As melhores canções de britpop segundo os leitores da Rolling Stone EUA.

Sua música nova, “Riverman”, tem um solo de saxofone no estilo do Pink Floyd, algo bem inesperado. O que você teria dito, no começo do Oasis, se alguém tivesse sugerido a adição de um sax em, digamos, “Live Forever”?

[Risos] Bom, essa conversa não teria sido muito longa, e terminaria com alguém recebendo instruções de se dirigir à porta de saída, a serventia da casa.

O que mudou no seu estilo de vida, em comparação àquele tempo?

No começo do Oasis, o meu estilo de vida era igual ao de um dragão selvagem. Meu estilo de vida hoje é igual ao de um cão bonzinho. Quando você tem 24 anos e está na maior banda do mundo, consegue lidar com a maluquice envolvida nisso. Quando é um artista solo de 47 anos, se transforma em uma porra de um molenga. Mas, se você continua a se comportar aos 47 do mesmo jeito que se comportava aos 24, é meio que um imbecil, não?

As 15 separações mais conturbadas do rock.

Quais são seus programas de TV preferidos?

Ainda não enjoei de Seinfeld. Me lembra os anos 1990 – um tempo bom. Eu era a única pessoa na Inglaterra que assistia! Me identifico com Jerry.

Você é amigo de Bono. Sobre o que vocês conversam?

De todas as pessoas que eu conheço, ele é a mais divertida. É engraçado – e como bebe. Ele tem grandes ideias – para a banda dele e para a música. Me refiro a ele como "Pai Bono".

20 anos de Definitely Maybe: a estreia do Oasis faixa a faixa.

Você escuta muito pop?

Não, é uma bosta. O pop de hoje é uma besteira sem sal. Não é para mim.

E Taylor Swift? Ela é uma estrela pop, mas muita gente elogia o talento dela como compositora.

[Risos] Quem diz isso? Os pais dela?

Muita gente.

Diga o nome dessas pessoas. Isso é besteira. Ela parece uma garota bacana, mas ninguém nunca disse essas palavras e você sabe bem disso.