Em Várias Frentes

Ad-Rock comenta papel no cinema, livro sobre o Beastie Boys e futuro profissional

Brian Hiatt | Tradução: Ana Ban Publicado em 12/05/2015, às 17h38 - Atualizado às 17h54

Em Várias Frentes

Para quem viveu a juventude nos anos 1990, pode ser desconcertante ver Adam Horovitz, mais conhecido como Ad-Rock, do Beastie Boys, no papel de um pai nada bacana na comédia While We’re Young (sem data de estreia definida no Brasil), do diretor Noah Baumbach. Horovitz, de 48 anos, voltou a atuar depois de uma longa ausência das telas, simplesmente porque Baumbach, amigo dele, ofereceu um papel. “Pelo menos, ainda estamos aqui”, diz.

Em quem você baseou seu personagem?

Ele com certeza é parecido com muita gente com quem tive contato. Quando você fica adulto, as pessoas dizem: “Se não tiver um filho, não é um integrante verdadeiro da sociedade”. Então, meio que foi fácil.

Como anda o trabalho no livro sobre o Beastie Boys?

A ideia principal é ser um livro a respeito de nós como banda e das coisas que fizemos, mas também sobre Nova York e todas

as coisas que vimos. Ando escrevendo muito, muito mesmo. E isso definitivamente tem sido interessante. É uma coisa estranha de fazer – ser escritor e escrever histórias, principalmente sobre si mesmo.

Esse processo significa encarar muitas lembranças de Adam Yauch [morto em 2011, em decorrência de um câncer].

É legal lembrar, voltar mas eu preferiria bem mais simplesmente sair para jantar com Yauch em vez disso.

Tem alguma ideia sobre qual será seu próximo passo na carreira?

Não sei! O que você acha, o que eu deveria fazer?

Que tal um álbum solo?

Certo, acho que vou trabalhar nisso. Pode ter certeza de que vou falar com você para a minha campanha no Kickstarter [risos]. Eu fi z a trilha para um documentário sobre [o jogador de beisebol] Dock Ellis e foi muito divertido. Acho que vou continuar fazendo trilhas no futuro. Só preciso descobrir como fazer com que alguém me contrate para isso. Quero dizer, quando você está em uma banda, as pessoas falam: “Você faz parte de uma banda, é isso que você faz”. Mas agora eu sou apenas uma pessoa. Preciso descobrir: que tipo de pessoa eu sou? Mas, sabe, eu poderia estar em uma situação pior [risos].