Homenagem Internacional

Capital Inicial revisita o formato acústico, agora em Nova York

Lucas Borges Publicado em 13/05/2015, às 15h27 - Atualizado às 16h04

Capital Inicial
Divulgação

Quinze anos após o sucesso do álbum Acústico MTV, o Capital Inicial retornará ao formato – desta vez, com pretensões bem diferentes. “Acho o Acústico muito bonito e ele merece algum tipo de comemoração. Mas não espero nada parecido [risos]”, admite o vocalista Dinho Ouro Preto. “Aquilo é impossível de repetir.” No lugar dos hits dos anos 1980 e 1990, entram faixas dos últimos cinco discos da banda, lançados a partir de 2002, além de algumas inéditas (só três das antigas devem ser incluídas). Saem Kiko Zambianchi e Zélia Duncan, convidados do primeiro acústico; entram Lenine, Seu Jorge e Thiago Castanho, exguitarrista do Charlie Brown Jr. (uma canção do grupo de Chorão e Champignon pode aparecer no repertório). Em vez de São Paulo, o local escolhido para a gravação do show foi Nova York, que receberá a banda em 6 de junho. “É uma cidade que representa muito para a história do rock, para o que ouvíamos quando éramos adolescentes, a cena do CBGB. É a terra dos Ramones, do Lou Reed”, explica Dinho. Ele se mostra sensibilizado pela recepção dos brasileiros em apresentações anteriores do Capital nos Estados Unidos – não só pelo calor da plateia, mas, hoje, também por causa do câmbio favorável. “Conseguimos um quarto dos custos da produção do DVD vendendo as entradas em dólar”, revela.