A Morte de um Império dos Discos

Documentário narra o fim da icônica rede de lojas Tower Records – e de toda uma era

Redação Publicado em 15/05/2015, às 16h21 - Atualizado às 16h21

ADEUS
Uma das lojas da Tower Records, sendo fechada;
Divulgação

A Tower Records surgiu em 1960, nos fundos de uma farmácia em Sacramento, capital da Califórnia. Ao longo de 46 anos, cresceu e chegou a ter 89 lojas – e, então, faliu por causa da expansão exagerada, da pirataria e da revolução digital. Logo após o fim da empresa, o ator Colin Hanks, filho do também ator Tom Hanks, teve a ideia para o seu primeiro documentário, All Things Must Pass,/i> (algo como “Tudo Deve Acabar”, sem previsão de estreia no Brasil). “Eu nunca soube muito bem a história da Tower”, conta Hanks, de 37 anos. No filme, as lojas da rede são lembradas por estrelas como Bruce Springsteen, Elton John e pelo ex-funcionário Dave Grohl. All Things Must Pass simboliza a explosão da indústria de discos até o auge da sua glória, mas é principalmente uma história humana – um relato de como um pequeno anexo de uma farmácia passou a dominar o mercado de venda de discos, graças ao carisma do proprietário, Russ Solomon, que contratou funcionários apaixonados por música e os promoveu a altos cargos executivos ao longo do tempo. “É a história de uma família, com as pessoas

se unindo para fazer algo verdadeiramente único e incrível”, completa Hanks.