Caminhos Cruzados

Embaixador da Reebok Classic no Brasil, Rael representa a "cultura do tênis" no hip-hop

Lucas Brêda Publicado em 14/01/2017, às 11h15

Rapper assume uma posição equivalente à de Kendrick Lamar nos Estados Unidos
Jorge Bispo/Divulgação

“Eu me policio, porque gosto e nós ganhamos muitos [tênis]”, diz o rapper Rael, que já chegou a ter cerca de 80 pares na coleção. “Estes dias juntei 30 pares e levei na quebrada, para uns parceiros. É muita coisa, acaba acumulando.” O artista recentemente foi anunciado como embaixador da Reebok Classic no Brasil, em uma festa no topo do Edifício Martinelli, em São Paulo, assumindo posição equivalente à de Kendrick Lamar nos Estados Unidos, como rosto do modelo Perfect Split. “Nos guetos de Nova York, as pessoas não tinham dinheiro para usar sapato, então usavam tênis de basquete na rua. Acabou virando tendência”, reflete o artista, citando a “cultura do tênis” no hip-hop. “Quando alguém vai a uma festa, o comum é se vestir e pensar: ‘Que tênis combina?’ Mas acho que no hip-hop é: ‘Qual roupa combina com o tênis?’”

A parceria selada por Rael marca um momento de aproximação entre o hip-hop nacional e a moda, especialmente com a aclamada estreia da LAB – grife dos irmãos Emicida e Fióti – na São Paulo Fashion Week. “O rap sempre fomentou isso, só que não havia relação com as marcas”, opina Rael, que prepara o lançamento do disco Coisas do Meu Imaginário para este mês e se defende das esperadas críticas: “Sempre vêm com esse discurso de vendido, né? Mas Mussum e Sabotage me mostraram que eu posso estar em qualquer parte da sociedade, sacou? Com o Kendrick é da hora, por que com o Rael não pode ser?”