Pulse

Celebração Pós-Apocalíptica

Thiago Pethit e NoPorn consolidam parceria em festa itinerante com a temática “fim do mundo”

Gabriel Nunes Publicado em 15/03/2017, às 18h03 - Atualizado às 18h08

Realizando sonhos
Pethit (à frente) com Liana e Lauri: em sintonia
Divulgação

Foi sob as luzes policromáticas da extinta casa de shows Xingu, em São Paulo, que Thiago Pethit teve contato com a música do NoPorn. A casa noturna se tornou célebre no início dos anos 2000 pelas apresentações regulares do duo, reunindo na pista de dança a efervescente e heterogênea cena clubber paulistana. Fascinado pelas batidas eletrônicas hipnóticas e letras ambíguas da dupla, Pethit não esconde a admiração e o saudosismo em relação às performances. “Era um pouco do que eu gostaria de ser e fazer no futuro”, diz. Como forma de reviver e prestar uma homenagem àquele tempo, o músico e o NoPorn, formado por Liana Padilha e Luca Lauri, se unem para lançar a festa itinerante Meteoro.

“É uma festa como muitas outras, mas ela tem essa temática ‘meteórica’, meio ‘pós-apocalíptica’”, brinca o cantor e compositor. “Além do NoPorn, teremos DJs convidados. A ideia é que sempre tenha pessoas externas à banda e que sejam músicos ou cantores, gente tocando desde violoncelo a guitarra.” Para Liana, a atmosfera “pós-apocalíptica” a que Pethit se refere está associada à atual conjuntura política, moral e social do Brasil. “Está todo mundo em pânico com o que está acontecendo. É como se o mundo tivesse realmente acabado em 2012 e todos nós agora vivêssemos do refugo do que sobrou culturalmente.”

A festa – cuja primeira edição será realizada no início de abril – contará com repertórios tanto de Pethit quanto do NoPorn, que recentemente lançou o segundo disco da carreira, BOCA (2016), dez anos após o debute autointitulado.